Tamanho do texto

Maurício Galiotte disse que o "paulistinha" foi jogado no lixo, desmerecendo a conquista do Corinthians no Allianz Parque

Presidente do Palmeiras reclamou da arbitragem, que anulou o pênalti no clássico
Twitter/Reprodução
Presidente do Palmeiras reclamou da arbitragem, que anulou o pênalti no clássico

O Corinthians foi campeão paulista de 2018 superando o Palmeiras nas penalidades e, após o clássico no Allianz Parque, o presidente palmeirense soltou o verbo contra a arbitragem, desmerecendo o Paulistão e diminuiundo a conquista corintiana.

O jogo: Corinthians derrota o Palmeiras nos pênaltis e é campeão Paulista pela 29ª vez

"O que tenho que declarar é muito simples. O que aconteceu aqui hoje é uma vergonha, um exemplo muito ruim que o futebol brasileiro dá. Interferência externa não é esporte. Não ganhamos a partida, porém houve interferência externa. O que o Palmeiras acha disso tudo? Que é uma vergonha!", disse o mandatário Maurício Galiotte, bastante irritado.

"Campeonato estragado, jogado no lixo. Respeitamos o adversário, mas ninguém precisa passar por isso. Nem Palmeiras nem Corinthians nem outros clubes. O que digo ao torcedor palmeirense é: esqueçam o campeonato. O Palmeiras é muito maior do que o paulistinha. Nós vamos brigar por coisas grandes. Não vamos ficar preocupados com uma situação absolutamente vergonhosa", completou o presidente alviverde.

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras
Twitter/Reprodução
Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras

De bico com Cimatti: Corinthians campeão, ação, concentração

Galiotte se referiu ao pênalti que o árbitro marcou para o Palmeiras, de Ralf em cima de Dudu, e depois voltou atrás a pedido do quarto árbitro, que estava na linha lateral. Segundo o palmeirense, houve interferência externa na conversa da arbitragem, o que não é permitido no regulamento.

"Foi uma vergonha. Depois de marcar a penalidade, ele teve uma reunião dentro de campo. E aí o pênalti foi simplesmente anulado. Uma vergonha para nós, para o futebol brasileiro, para nós dirigentes. O que esperamos do futebol? Cobramos dirigentes, atletas, treinador, e agora? Como a gente faz? O que eu falo para meus jogadores no vestiário? É uma situação que revolta", disse.

"Acabou o campeonato, o que podemos fazer é treinar e pensar na Libertadores. Um campeonato que não existiu, foi jogado na lata do lixo. Pergunto a algum de vocês se discordam de mim. Alguém discorda que não foi uma vergonha? Eu quero debater", finalizou  Maurício Galiotte .

Resposta de Emerson Sheik

Emerson Sheik provocou o Palmeiras
Instagram
Emerson Sheik provocou o Palmeiras

Diante da irritação do presidente do Palmeiras, o atacante Emerson Sheik fez questão de responder às declarações do rival.

"Ele é um doente mental de falar uma coisa dessa porque ele acaba desmercendo todas as equipes que disputaram a competição, ele desmerece a Federação, os atletas, funcionários de todas equipes. Acho que ele está equivocado", comentou o jogador do Corinthians, que entrou no segundo tempo do duelo.

Leia também: Botafogo, Cruzeiro, Grêmio... os campeões estaduais de 2018 pelo Brasil

Na comemoração do título paulista, ainda no vestiário do Allianz Parque , o atacante provocou o Palmeiras em uma rede social. "Eu falei uma frase que ficou guardada: 'Que dó, que dó da formiguinha! Que dó da formiguinha! Formiguinha, chora, formiguinha!'", brincou Sheik.

Essa mesma frase foi usada por Emerson Sheik em 2012, causando muita polêmica. Naquela ocasião, o Palmeiras  havia acabado de ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas