Tamanho do texto

Marcelo tem 30 anos de idade e está com a carreira consolidada na Europa, vindo de uma excelente campanha no Besiktas, da Turquia

Zagueiro brasileiro Marcelo chegou ao Lyon nesta temporada
Twitter/Reprodução
Zagueiro brasileiro Marcelo chegou ao Lyon nesta temporada

Com a ida de Neymar para o Paris Saint-Germain, os holofotes do mundo do futebol estarão voltados para a França nesta temporada. E quem quer aproveitar esse momento é o zagueiro brasileiro Marcelo , contratado pelo Lyon  neste meio de ano após brilhar com a camisa do Besiktas, da Turquia, onde conquistou o bicampeonato nacional.

Leia também: Amigo do presidente, brasileiro quase "evitou" golaço que ganhou Prêmio Puskas

Marcelo está com 30 anos de idade e tem carreira consolidada na Europa. Revelado pelo Santos em 2007, foi muito jovem para o Wisla Krakow, da Polônia, em 2008, quando estava com apenas 21 anos. Depois passou por PSV, da Holanda, e Hannover, da Alemanha, até desembarcar em território turco, no começo de 2016. Agora está na França .

Em entrevista exclusiva ao iG, o experiente defensor avalia que a contratação de Neymar pelo PSG pode ajudá-lo indiretamente numa futura convocação para seleção brasileira, já que o técnico Tite, que já acompanhava o Campeonato Francês, passará a dar uma atenção maior à liga do país.

Marcelo brilhou pelo Besiktas
Site oficial
Marcelo brilhou pelo Besiktas

"Essa minha vinda para o Lyon pode acrescentar um peso grande na visibilidade. O Tite sempre acompanha o Campeonato Francês, tem atletas da seleção brasileira que jogam aqui também, então para mim essa mudança foi positiva nessa parte também. Tenho vontade de estar na seleção um dia, esse sonho ainda não apagou da minha vida, mas tudo tem sua hora. Vou fazer meu trabalho bem para ser reconhecido", comentou o zagueiro.

Quando questionado sobre o compatriota Neymar, Marcelo preferiu não se aprofundar no assunto. "A gente tem que jogar futebol, só isso. Ele vai acrescentar muito para liga francesa, agora os holofotes estão voltados para França. Para nós jogadores é muito bom. Mas dentro de campo é simples, tem que jogar. Todo mundo sabe que ele tem qualidade", disse.

Chances de título

Com a ascensão recente de Monaco e PSG, o Lyon ficou para trás dentro do cenário nacional, tanto que a última conquista da Ligue 1 foi na temporada 2007/2008, quando Juninho Pernambucano era o maestro da equipe. De lá para cá, foram três vice-campeonatos e outros três terceiros lugares.

Leia também: Aposentado das pistas, Usain Bolt pode virar jogador de futebol

"O Lyon tem uma estrutura muito boa, são poucos clubes no mundo que têm essa estrutura. Nos últimos anos, vem tendo equipes boas, mas não vem tendo sorte. Ano passado tinha um time competitivo, saíram alguns jogadores e chegaram atletas para dar continuidade no bom trabalho. A ideia é disputar o título daqui dois ou três anos", disse o brasileiro.

"Nosso time é forte e jovem, sou o segundo mais velho do elenco. Estamos crescendo aos poucos, fizemos uma boa pré-temporada, começamos bem no Francês e, se continuarmos nesse ritmo, tem tudo para dar certo a curto prazo", admitiu Marcelo, que esteve em campo nos dois primeiros jogos do time no Francês, com duas vitórias conquistadas.

Volta para o Brasil

Revelado no Santos, Marcelo foi para Europa ainda muito jovem
Arquivo iG
Revelado no Santos, Marcelo foi para Europa ainda muito jovem

Consolidado na Europa, o defensor não pensa em voltar a jogar no Brasil. Porém, quando encerrar a carreira de jogador profissional, pretende retornar à sua pátria.

"Quero voltar a morar no Brasil, mas não voltar a jogar no país. Já tive umas fases de querer voltar a atuar no Brasil, mas quando a gente esfria a cabeça, muita coisa influencia para não voltar. Depois de encerrar a carreira vou voltar sim, tenho meus negócios aí. O momento é de jogar mais anos aqui na Europa", revelou.

E estar no exterior o faz crescer como pessoa. "Para mim é muito bom, porque vou agregando cultura, não tem dinheiro que paga isso. Os países que eu conheci, os amigos que eu fiz, as línguas que aprendo. Será proveitoso para quando eu parar de jogar, para minha vida", disse. "Falo português, espanhol, inglês, alemão e agora estou aprendendo francês. Polonês eu sei um pouquinho e holandês não consegui aprender não, é muito difícil", brincou o zagueiro.

Faz a curva, taxista

Jogador de futebol brasileiro que sai do Brasil ainda muito jovem sempre tem história curiosa para contar em suas aventuras pelo mundo. Com o jogador do Lyon não é diferente. Ele relembrou uma situação curiosa que viveu na Polônia, na sua primeira experiência no exterior.

Leia também: Ex-técnico da seleção, Dunga revela truque de jogadores para serem escalados

"Uma vez na Polônia, estava num táxi com minha esposa e eu estava falando para ela que teria que fazer a curva. Falei algumas vezes. E o taxista, sempre que eu falava, olhava para trás com uma cara feia, reclamando. Só depois eu fui descobrir que curva é a pronuncia de um palavrão muito grande na língua polonesa", finalizou Marcelo, agora na França.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas