Tamanho do texto

Campeão da Copa do Mundo de 1994, ex-jogador visitou o museu mais vitorioso do futebol mundial e reviu camisa utilizada na final do evento

Bebeto no Museu da Seleção, no Rio de Janeiro
CBF/ Lucas Figueiredo
Bebeto no Museu da Seleção, no Rio de Janeiro

Depois de 24 anos sem levantar a taça da Copa do Mundo , a seleção brasileira de 1994 conquistou o feito nos Estados Unidos. O tetracampeão Bebeto ficou ainda eternizado com a comemoração na qual balançava os braços como se ninasse um bebê. Era homenagem ao filho Mateus, que nascera dois dias antes da partida das quartas de final contra a Holanda.

LEIA TAMBÉM: Ricardo Teixeira pode ser preso após pedido de transferência de ação para Brasil

A convite do secretário-geral da CBF, Walter Feldman, o ex-jogador percorreu os corredores do museu mais vitorioso do futebol, o Museu da Seleção, localizado no Rio de Janeiro. Além de todas as conquistas do time nacional, Bebeto ainda reviu a camisa 7 utilizada naquela final de 17 de julho de 1994. O reencontro com a taça deixou o baiano, hoje com 53 anos de idade, emocionado.

"Quando você entra num lugar como este e começa a vivenciar tudo isso aqui, a taça, os gols... Não tem como não se emocionar. E se concretizou um sonho que eu tinha quando eu era criança lá na Bahia de levantar essa taça aqui. Eu me sinto com o dever cumprido", disse o ex-jogador.

LEIA TAMBÉM: Ex-goleiro Waldir Peres, ídolo da seleção e do São Paulo, morre aos 66 anos

Assista:

"Fazer parte disso é um orgulho. Quando eu entrava para jogar pela Seleção eu dava tudo de mim. Isso não tem preço. É dessa maneira que esses meninos tem que encarar. Ter o prazer e o comprometimento de vestir essa camisa e eles já vem demonstrando isso", afirmou Bebeto.

LEIA TAMBÉM: Neymar vale mais que muito clube de ponta da Europa; veja a lista

O ex-jogador, que fez história nas equipes do Flamengo e do Vasco, aproveitou a oportunidade de estar na sede da CBF , para visitar o treinador da seleção brasileira . O tetracampeão mundial fez questão de elogiar o trabalho de Tite no comando da equipe nacional. "Eu sou fã do Tite, desde a época do Corinthians. Ele entrou e vem fazendo um trabalho maravilhoso. Deixa ele trabalhar que a gente vai forte para esse Mundial!", disse Bebeto.

    Leia tudo sobre: futebol