Tamanho do texto

Com 21 anos, Solomon Nyantakyi, era uma das promessas do Parma quando o clube declarou falência. Motivo do duplo homicídio será investigado

O ex-jogador do Parma Solomon Nyantakyi , de 21 anos, confessou ter assassinado a mãe, Nfum Patiente, 43 anos, e a irmã mais nova, Magdalene, 11, nesta quarta-feira, conforme informou a polícia italiana. Os corpos das vítimas foram encontrados pelo irmão mais velho do atleta, Raymond, de 25 anos, que chamou a polícia da cidade imediatamente.

Leia também: Daniel Alves fecha com PSG e assina contrato de duas temporadas

De acordo com as primeiras análises, Nyantakyi matou a mãe e a irmã com várias facadas - ou com algum outro objeto perfurante parecido - e fugiu para Milão. A família vivia junta em um apartamento duplex no bairro de San Leonardo, em Parma , e vizinhos relataram que chegaram a ouvir gritos da pequena Magdalene por sua mãe, mas acharam que era uma situação normal na casa. O crime só foi descoberto com a chegada de Raymond.

Solomon Nyantakyi, ex-promessa do Parma, foi preso após confessar ter matado a mãe e a irmã
Divulgação
Solomon Nyantakyi, ex-promessa do Parma, foi preso após confessar ter matado a mãe e a irmã

Assim que as autoridades foram notificadas, a Polícia local, por ordens da procuradora Paola Del Monte, tentou localizar Nyantakyi, mas o celular dava fora da área de serviço. A fuga, porém, durou apenas algumas horas, já que o jogador foi localizado assim que desembarcou na estação central de Milão. Ao ser levado para depor, ele confessou o crime.

Agora, as autoridades tentam entender o que levou o jovem a cometer o duplo homicídio. De acordo com informações dadas por Raymond, a casa deles estava com sangue espalhado por todos os cômodos, revelando a brutalidade do assassinato. Já o pai deles está em viagem de negócios no Reino Unido e não estava no local no momento da ação.

Leia também: Douglas Costa troca Bayern por Juventus e Daniel Alves se aproxima do PSG

"Estou sem palavras. Solomon era um rapaz pacífico e tranquilo, não faria mal a uma mosca. Mas, sofria de depressão", disse o ex-jogador Cristiano Lucarelli à ANSA. O ex-atacante do Livorno foi o treinador do time juvenil do Parma e relatou como era a vida com Nyantakyi. "Em um ano, eu o ouvi falar duas vezes sobre isso [depressão]. Sabia de seus problemas, mas há um ano eu o chamei para treinar na Lega Pro no Cuiopelli. Mas, depois de 15 dias de treinos, ele quis ir embora porque sentia falta da família", relata ainda Lucarelli.

História

O jovem de 21 anos é ganês, mas toda a sua família já vive há muitos anos na Itália. Por isso, ele viveu nas categorias de base do Parma e jogava pelo time juvenil do time. Na temporada 2014/2015, foi convocado por cinco vezes pelo então técnico Roberto Donadoni para estar com o elenco principal. No entanto, aquela foi a temporada em que o clube declarou falência e foi fechado.

Pouco antes do fim da temporada, o Milan havia demonstrado interesse em Nyantakyi, mas o responsável pela equipe de base à época, Francesco Palmieri, pediu que ele permanecesse por mais um tempo na equipe em que cresceu.

Leia também: Novela chega ao fim e Milan renova com Donnarumma até 2021

Após o fechamento do Parma, a jovem promessa não conseguiu mais destaque e atuou em duas equipes da terceira e quarta divisão do futebol italiano. "Não é fácil falar do caráter de um jovem jogador em um time da série A, mas lembro que ele era um rapaz tranquilo, até calado. E se foi realmente ele, é difícil entender o que passou pela cabeça dele", diz Donadoni à ANSA. "Ele estava no juvenil, era um meio-campista, mas depois que o clube faliu, não sei que percursos ele fez", acrescentou.

    Leia tudo sobre: futebol