Tamanho do texto

Ex-jogador argentino recebeu a cidadania honorária de Nápoles, cidade do Napoli, time onde o craque é ídolo; cerimônia durou apenas 10 minutos

Maior ídolo da história do Napoli , o ex-craque argentino Diego Armando Maradona recebeu nesta quarta-feira a cidadania honorária de Nápoles, no sul da Itália, em uma cerimônia bem mais modesta do que o previsto.

Leia também: Ronaldo terá que indenizar jornalista por episódio ocorrido na Copa de 2002

Após as polêmicas das últimas semanas, o prefeito da capital da Campânia, Luigi de Magistris, decidiu conceder o título à Maradona na sede do governo municipal. Seu objetivo foi dissociar a homenagem institucional do show realizado logo em seguida na praça do Plebiscito, onde inicialmente ocorreria a entrega da cidadania.

Maradona recebe homenagem do prefeito de Nápoles Luigi de Magistris
Ansa
Maradona recebe homenagem do prefeito de Nápoles Luigi de Magistris

Na terça-feira passada, diversas faixas surgiram pelas ruas de Nápoles, inclusive em frente ao estádio San Paolo, acusando o prefeito de usar o evento para buscar "dinheiro e publicidade". Além disso, a imprensa local divulgou que Maradona receberia 200 mil euros para ir à praça do Plebiscito, dinheiro que seria bancado por patrocinadores e emissoras de TV. O ex-jogador nega.

Leia também: Maradona é alvo de protesto antes de ser homenageado em Nápoles, na Itália

A decisão de transferir a homenagem para a sede da Prefeitura irritou o argentino, que chegou a pensar em não participar da cerimônia institucional. Após uma tarde de negociações e mais de uma hora de atraso, Maradona acabou cedendo e apareceu para receber a cidadania honorária.

"Ninguém gosta tanto de mim quanto vocês. Me tornei cidadão de Nápoles no dia em que cheguei aqui, mas agradeço ao prefeito por essa cidadania e agradeço a todos os napolitanos", declarou o ex-craque, em uma cerimônia que durou apenas 10 minutos.

Leia também: Saiba quem é a jornalista russa que acusou Maradona de assédio sexual

Em seguida, Maradona foi para a praça do Plebiscito, onde 10 mil torcedores se reuniam para celebrar seu maior ídolo e os 30 anos do primeiro título italiano do Napoli, conquistado em 1987. A expectativa dos organizadores era que o evento recebesse pelo menos 30 mil pessoas.

Passagem de sucesso

Maradona, hoje técnico do time árabe Al Fujairah, defendeu o Napoli entre 1984 e 1991 e conquistou dois títulos do Campeonato Italiano, além de uma Copa da Itália.

    Leia tudo sobre: Futebol