Tamanho do texto

Depois de um jogo com chances claras para as duas seleções, Claudio Bravo cresceu e defendeu três penalidades dos lusitanos; adversário da decisão, que será no domingo, sairá do duelo entre Alemanha e México

Bravo brilhou e defendeu três pênaltis portugueses para classificar o Chile à final da Copa das Confederações
Divulgação/Fifa
Bravo brilhou e defendeu três pênaltis portugueses para classificar o Chile à final da Copa das Confederações

Com grande atuação do goleiro Claudio Bravo na decisão por pênaltis, o Chile venceu Portugal por 3 a 0, após empate por 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação, nesta quarta-feira, na Arena Kazan, em Kazan, na Rússia, e se classificou pela primeira vez para a final da Copa das Confederações . A seleção sul-americana aguarda agora o vencedor do duelo entre Alemanha e México. 

Leia também: Semifinal é adiada na África porque ninguém apareceu para abrir o estádio

No tempo regulamentar e na prorrogação, as duas seleções criaram grandes chances de gol, mas os goleiros Rui Patrício e Claudio Bravo brilharam e não deixaram o zero sair do marcador. O Chile , que recentemente conquistou duas Copas América, em 2015 e em 2016, na edição centenária da competição, chega a sua primeira decisão de torneios mundiais. Portugal, por sua vez, campeão da Eurocopa em 2016, adia o sonho de conquistar um torneio com seleções de todo o mundo.

Jogadores chilenos correm para cima de Bravo, herói da classificação chilena à final da Copa das Confederações
Divulgação/Fifa
Jogadores chilenos correm para cima de Bravo, herói da classificação chilena à final da Copa das Confederações

O jogo

A partida entre Portugal e Chile começou aberta e a primeira boa chegada foi da seleção portuguesa aos dois minutos com um chute de André Gomes que ficou nas mãos de Bravo. Quatro minutos depois, o Chile respondeu com Vargas, que recebeu grande passe de Alexis Sánchez, mas a finalização parou no goleiro Rui Patrício.

Logo depois, mais uma grande chance para os portugueses. Cristiano Ronaldo recebeu na esquerda e cruzou para André Silva que finalizou de primeira, mas parou em Bravo novamente. A partir daí o jogo passou a ficar mais centralizado e a próxima e última grande chance do primeiro tempo veio em uma cabeçada de Aránguiz que passou muito próximo da meta portuguesa. 

O estilo de jogo das seleções no início da segunda etapa foi igual o da primeira, mas os cruzamentos altos não surtiram efeito. Até que aos 11 minutos, após um escanteio, a bola sobrou para Vargas, que aplicou um lindo voleio e obrigou o arqueiro português a fazer linda defesa. A resposta veio na sequência. Cristiano Ronaldo recebeu na área, fintou e bateu com muita força, mas mais uma vez a bola parou em Bravo.

Leia também: Após 28 anos, seis pessoas são indiciadas pela maior tragédia do futebol inglês

Aos 26, em um contra ataque rápido de Portugal, a bola ficou com Cristiano Ronaldo que chutou de fora da área, mas a bola desviou na zaga chilena e passou ao lado da trave de Bravo. Grande chance dos lusitanos. Com menos de 10 minutos para o fim do tempo regulamentar, as seleções passaram a ser mais cautelosas, já que um erro poderia custar a classificação. Com 48, o árbitro iraniano Alireza Faghani apitou o fim do jogo e o primeiro jogo sem gols da Copa das Confederações se concretizou.

Mais de 40 mil torcedores acompanharam a semifinal da Copa das Confederações entre Portugal e Chile
Divulgação
Mais de 40 mil torcedores acompanharam a semifinal da Copa das Confederações entre Portugal e Chile

A primeira boa chance da prorrogação foi de Portugal. Após um chutão, Quaresma tocou para André Gomes na entrada da área, o luso chutou forte, mas ela subiu muito. A resposta chilena, como aconteceu em todo o jogo, foi rápida. Sánchez apareceu livre na área e cabeceou firme, mas a bola, com requintes de crueldade, foi saindo e passou rente à trave de Rui Patrício. A etapa inicial da prorrogação acabou sem outra grande oportunidade de bola na rede.

Depois de 12 minutos fracos, o Chile resolveu ir pra cima no final da prorrogação e no mesmo lance acertou duas vezes a trave de Rui Patrício. A primeira foi com chute de Vidal, que recebeu de Silva e bateu e primeira, no rebote, Rodríguez, meio que no susto, botou o pé na bola e ela explodiu no travessão. Logo na sequência, a bola sobrou para Sánchez na área. O atacante do Arsenal bateu forte, mas ela desviou e foi para fora. Não deu tempo para mais nada. Fim da prorrogação e a decisão foi para os pênaltis e a estrela de Claudio Bravo brilhou. 

Claudio Bravo, herói chileno, cumprimenta o técnico Juan Antonio Pizzi após classificação histórica
Divulgação/Fifa
Claudio Bravo, herói chileno, cumprimenta o técnico Juan Antonio Pizzi após classificação histórica

O goleirão do Chile defendeu as três cobranças portuguesas feitas por Quaresma, João Moutinho e Nani, enquanto seus companheiros, Vidal, Aránguiz e Sánchez acertaram e os chilenos bateram os portugueses por 3 a 0.

Cobranças

Chile: Vidal (O) Aránguiz (O) e Sánchez (O)
Portugal: Quaresma (X), João Moutinho (X) e Nani (X)

As três defesas de Claudio Bravo

C L A U D I O / B R A V O 🙌 The #Chile goalkeeper saved 3️⃣ penalties to book @laroja's place in their first ever #ConfedCup Final!

Uma publicação compartilhada por FIFA Confederations Cup (@fifaworldcup) em

Ficha técnica

Portugal x Chile

Local: Arena Kazan, em Kazan, na Rússia
Data: 28 de junho de 2017 (quarta-feira)
Horário: 15h (de Brasília)
Árbitro: Alireza Faghani (Irã)
Público: 40.855
Cartões amarelos: Gonzalo Jara e Pablo Hernández (Chile); William Carvalho, André Silva, José Fonte, Bruno Alves e Cédric (Portugal)

Portugal: Rui Patrício, Cédric, Bruno Alves, José Fonte e Eliseu; William Carvalho, Adrien Silva (João Moutinho), André Gomes (Gelson Martins) e Bernardo Silva (Quaresma); André Silva (Nani) e Cristiano Ronaldo.
Técnico: Fernando Santos.

Leia também: Ricardo Teixeira ironiza acusações feitas pela Fifa e diz: "Não é conclusivo"

Chile: Claudio Bravo, Isla (Fuenzalida), Medel, Gonzalo Jara e Beausejour; Aránguiz, Pablo Hernández (Francisco Silva) e Marcelo Díaz; Vidal, Alexis Sánchez e Eduardo Vargas (Martín Rodríguez).
Técnico: Juan Antonio Pizzi

O Chile agora espera para a decisão quem passar do duelo entre Alemanha e México, marcado para esta quinta-feira, também às 15h, no estádio Olímpico de Fisht, em Sochi, na Rússia.

    Leia tudo sobre: futebol