Tamanho do texto

Atacante Marlon, do Sapucaiense, tem quatro mandados de prisão contra ele, sendo três de sequestros

Marlon Natanael de Lima Alexandre, jogador do Sapucaiense, é preso pela Polícia Civil em campo
Polícia Civil / Divulgação
Marlon Natanael de Lima Alexandre, jogador do Sapucaiense, é preso pela Polícia Civil em campo

O Campeonato Gaúcho da terceira divisão foi palco de uma cena inusitada, no mínimo, inusitada. Durante a partida entre Sapucaiense e Farroupilha, no estádio Arthur Mesquita Dias, o atacante Marlon Natanael de Lima Alexandre, de 21 anos de idade, foi surpreendido com agentes da Polícia Civil da região, que abordaram o jogador e o prenderam ali mesmo, em campo.

Leia mais: Com confusão mental, meia do Everton é internado em hospital psiquiátrico

O jogador  tem quatro mandados de prisão em aberto, sendo três deles por sequestro. O primeiro aconteceu em outubro do ano passado, onde uma mulher que saía do shopping Bourbon Ipiranga, em Porto Alegre, foi abordada pelos bandidos, que pretendiam realizar saques em caixas eletrônicos com a vítima, mas um segurança percebeu o ocorrido e trocou tiros com os suspeitos.

Marlon sendo levado pelos agentes
Polícia Civil / Divulgação
Marlon sendo levado pelos agentes

O segundo sequestro aconteceu em fevereiro deste ano, onde o grupo de sequestradores em que Marlon estaria envolvido raptou uma vítima no shopping Iguatemim exigindo dos familiares um resgate de R$ 5 mil. O terceiro foi um sequestro relâmpago na saída de um supermercado, em Porto Alegre. 

Leia também: Ex-jogador da NBA é vítima de bala perdida durante briga de gangues

O quarto mandado de prisão em aberto é referente a um flagra de quando o jogador foi pego dirigindo um carro roubado, com placas clonadas. 

Surpresa no clube

O atleta estava no banco de reservas do Sapucaiense e foi levado pelos agentes, para surpresa da torcida e do presidente do clube, José Luiz Christianetti. "Ele joga aqui há bastante tempo. Tem bom relacionamento com todos do grupo. Nos pegou de surpresa. A partir de agora, além de documento, vamos ter que ver a ficha corrida dos nossos próximos contratados". disse em entrevista ao Jornal Novo Hamburgo.

Marlon chegou à delegacia em Porto Alegre para prestar depoimento por volta das 16h de quarta-feira. "Eu sou jogador de futebol, eu nego tudo, sou atleta de futebol", disse aos jornalistas que acompanharam o encaminhamento do atacante.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.