Tamanho do texto

"O Bruno está evoluindo muito rapidamente. Ele será inscrito nesta semana e deverá estrear em breve", avisou o treinador do Boa Esporte

O goleiro Bruno, enfim, deve voltar a jogar futebol. Contratado pelo Boa Esporte assim que deixou a prisão no último mês de fevereiro, o jogador de 32 anos de idade está apto para fazer sua estreia pelo clube de Varginha no próximo sábado, diante do Uberaba, em jogo válido pela primeira rodada do hexagonal final do Módulo II do Campeonato Mineiro.

Leia também: Goleiro Bruno, Boa Esporte e a imagem do futebol. Vale a pena o risco?

Goleiro Bruno acena para os torcedores do Boa Esporte. Ele está de volta ao futebol
Alexandre Guzanshe / EM DA PRESS / Superesportes
Goleiro Bruno acena para os torcedores do Boa Esporte. Ele está de volta ao futebol

Bruno já estava regularizado no BID da CBF há alguns dias, mas ele não estava inscrito na primeira fase da competição e teve que esperar o início da etapa final. O Boa Esporte poderá fazer cinco trocar no seu elenco do futebol profissional.

Leia também: Mulheres protestam contra a contratação de goleiro Bruno: "Não é uma 'boa'"

O próprio técnico Julinho Camargo foi quem avisou que o arqueiro deverá jogar no fim de semana. "O Bruno está evoluindo muito rapidamente. Ele será inscrito nesta semana e deverá estrear em breve. Vou me reunir na terça-feira com comissão técnica para decidir se o Bruno já estreia no final de semana ou se vai aguardar um pouco mais", disse o comandante. 

Confira fotos do goleiro Bruno:

Maior salário do elenco

De acordo com uma publicação da revista "Veja", Bruno terá o maior salário da equipe mineira e receberá cerca de R$ 30 mil mensais, sem contar os possíveis bônus por participação e jogos. O novo contratado ainda vai superar o salário do meia Radamés, que, até então, era o que mais recebia do Boa Esporte.

O caso Eliza Samudio

Bruno foi condenado pela Justiça mineira, em março de 2013, a 17 anos e 6 meses em regime fechado por homicídio triplamente qualificado — por motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima — , a outros 3 anos e 3 meses em regime aberto por sequestro e cárcere privado e ainda a mais 1 ano e 6 meses por ocultação de cadáver.

Leia também: Agora em liberdade, goleiro Bruno carregava as chaves da própria cela na prisão

A pena acabou sendo aumentada porque o goleiro Bruno foi considerado o mandante do crime, e reduzida pela confissão do jogador. Eliza desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi achado. Ela tinha 25 anos e era mãe do filho recém-nascido do jogador de futebol, de quem foi amante. Na época, ele era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.

    Leia tudo sobre: Futebol