Tamanho do texto

Caso do goleiro não é exclusividade no futebol, já que outros jogadores também voltaram à ativa depois de ficarem presos

Goleiro Bruno deixou a prisão e acertou com o Boa Esporte
Divulgação
Goleiro Bruno deixou a prisão e acertou com o Boa Esporte

Acusado de participar do assassinato da então amante Eliza Samudio, em 2010, o goleiro Bruno conseguiu um habeas corpus e deixou a prisão no último mês de fevereiro. E mais do que ser libertado, o ex-jogador de Flamengo, Atlético-MG e Corinthians, inclusive, já conseguiu acertar seu retorno ao futebol: ele foi contratato pelo Boa Esporte, time mineiro que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.

Leia também: Boa Esporte perde patrocinador depois de acertar com goleiro Bruno

O caso de Bruno não é exclusividade no esporte. Existem outros atletas que chegaram a ficar encarceirados, independente do tempo, mas que depois deixaram a prisão para retornar aos gramados. Confira abaixo alguns nomes:

César, lateral esquerdo

Cesar, ex-lateral do São Caetano. Ele também ficou preso
Reprodução
Cesar, ex-lateral do São Caetano. Ele também ficou preso

Grande astro do São Caetano no começo dos anos 2000, César foi enquadrado no artigo 157, assalto à mão armada, ao participar de um roubo de 100 mil dólares do Juventus da Mooca, time pelo qual atuava, em 1994. Ele foi condenado a cinco anos e seis meses de detenção e ficou no Carandiru. Ganhou o direito de cumprir pena em regime semiaberto a partir de 1999, sendo que depois ainda atuou por Lazio, Inter de Milão e Corinthians.

Breno, zagueiro

Breno durante seu julgamento na Alemanha
Divulgação
Breno durante seu julgamento na Alemanha

Em julho de 2012, Breno foi condenado a três anos e nove meses de detenção na Alemanha por atear fogo na própria casa onde morava. Na época, ele defendia o Bayern de Munique. O jogador cumpriu dois terços de sua pena e, em 2015, retornou ao São Paulo, clube pelo qual foi revelado antes de se transferir para o futebol alemão.

Hernande, meio-campista

Hernande, ex-meia de Vasco e Botafogo
Arquivo pessoal
Hernande, ex-meia de Vasco e Botafogo

Revelado no Vasco no início da década de 90, Hernande ficou sete meses preso depois de atropelar três pessoas em 1995. Ainda em regime semi-aberto, retornou aos gramados jogando pelo Botafogo, mas sem grande sucesso. Hoje aposentado, ele passou por equipes de menor expressão do Rio de Janeiro, como o Teresópolis, Volta Redonda e o Silva Jardim.

Leia também: Alexandre Pato isola pênalti decisivo e ainda aguenta provocação na China

Cuca, atacante

Cuca já viveu momentos de tensão fora dos campos
Divulgação
Cuca já viveu momentos de tensão fora dos campos

Hoje treinador, Cuca foi acusado de ter estuprado a suíça Sandra Pfäffli, de 14 anos, em 1987, quando defendia as cores do Grêmio - a moça teria ido pedir autógrafo aos jogadores do time gaúcho no hotel da delegação e foi atraída ao quarto para ter relações sexuais. Juntamente com os colegas Henrique, Eduardo e Fernando, Cuca ficou preso por 28 dias no país europeu antes de voltar ao Brasil e ainda teve que pagar 4 mil dólares. 

Viola, atacante

Viola foi detido com uma pistola calibre 380
Arquivo iG
Viola foi detido com uma pistola calibre 380

O caricato centroavante de Corinthians, Palmeiras e Santos foi preso em Carapicuíba no ano de 2012, acusado pela esposa de ter cometido violência doméstica contra sua esposa, além de ser detido por porte ilegal de arma de fogo e desobediência judicial. Ficou preso por cinco dias. Depois desse incidente, já veterano, jogou por Grêmio Osasco, Tanabi, Portuguesa Santista e Taboão da Serra.

Leia também: Aos 50 anos de idade, ex-santista marca gol no Japão e entra para a história

Existe também o caso do atacante Edmundo. Em 1999, o ex-jogador de Palmeiras, Vasco, Corinthians, Fluminense e Flamengo foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão por homicídio culposo, por conta de um acidente de carro que matou três pessoas em 1995, mas nunca chegou a ficar detido.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.