Tamanho do texto

Ex-goleiro e hoje treinador do São Paulo tinha apenas 24 anos de idade quando balançou as redes pela primeira vez

Rogério Ceni comemora seu gol contra o União São João, o primeiro da sua carreira
Arquivo / Reprodução
Rogério Ceni comemora seu gol contra o União São João, o primeiro da sua carreira

15 de fevereiro de 1997, a cidade era Araras, no interior paulista. Há exatos 20 anos, o goleiro Rogério Ceni marcava seu primeiro gol como atleta profissional na vitória por 2 a 0 do São Paulo diante do União São João - o outro tento da partida saiu dos pés do lateral esquerdo Serginho, batendo pênalti.

LEIA MAIS: TV Globo trocou jogo por filme e perdeu primeiro gol de Rogério Ceni ao vivo

Naquela época, ninguém imaginava que o garoto que tinha a missão de substituir o consagrado Zetti se transformaria no maior goleiro artilheiro da história do futebol. E mais do que isso. Rogério Ceni se tornou também o maior ídolo do clube do Morumbi, com mais de 1.200 jogos disputados com a camisa tricolor.

Reveja o primeiro gol da carreira de Ceni:

"Não sabia nem para onde correr porque foi algo inusitado no futebol brasileiro", relembra o ex-jogador em entrevista recente ao site oficial do São Paulo. Na época daquele tento inédito, ele tinha apenas 24 anos de idade. Hoje é treinador do time principal.

LEIA MAIS: Atacante do Flamengo é o segundo jogador mais rápido do mundo, diz estudo

Insistência

O ex-goleiro e capitão do São Paulo disse também que foram seis meses de preparação antes do primeiro gol na carreira. Após os treinos do elenco no CT da Barra Funda, ele ajeitava a barreira metálica e ensaiava cobranças de faltas. Seu treinador era Muricy Ramalho, que Ceni considera determinante para a iniciativa. "Eu treinava 100 faltas por dia durante seis meses para ter essa oportunidade. O Muricy me deu essa chance. Foi algo memorável".

LEIA MAIS: Equipe de Ilsinho nos EUA busca reforço inédito: um tatuador oficial

Rogério Ceni encerrou a sua carreira de forma oficial no fim de 2015, com 131 gols anotados. Além de vestir a camisa do São Paulo durante todo esse tempo, ele também defendeu as cores da seleção brasileira nas Copas do Mundo de 2002 e 2006, mas sempre como reserva.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.