Tamanho do texto

Francês Samir Nasri fez um tratamento suspeito em clínica norte-americana e sua vida se transformou nos últimos dias de 2016

Samir Nasri joga no Sevilla, mas pertence ao Manchester City
MANCHESTER CITY/Divulgação
Samir Nasri joga no Sevilla, mas pertence ao Manchester City

O fim de ano do meia-atacante Samir Nasri, do Sevilla, vem sendo mais conturbado do que se esperava. Fazendo uma boa temporada na Espanha, o jogador francês se envolveu em três polêmicas ao mesmo tempo ao fazer um tratamento vitamínico intravenoso numa clínica na cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos, chamada "Drip Doctors".

Reveja: Chapecoense, briga, sexo, polêmica... veja o que bombou no iG Esporte em 2016

Ao saber do procedimento médico, a AEPSAD (Agência Antidopagem Espanhola) disse que vai investigar Nasri sobre um possível doping, já que esse tipo de tratamento é novo e ainda não se sabe se pode trazer benefícios irregulares a atletas de alto rendimento. E é aí que mora a polêmica . "A presença de um esportisa numa clínica deste gênero é suspeita", disse uma fonte da entidade à AFP.

O tratamento que o jogador de 29 anos de idade teria recebido inclui as vitaminas C e B, lisina e zinco, depois combinadas com nutrientes formulados especificamente para combater superinsetos e vírus comuns. Vale lembrar que ele pertence ao Manchester City e está emprestado ao time espanhol.

Polêmica sexual e hacker

Além disso, a ida de Nasri à "Drip Doctors" também causou polêmica por, supostamente, se tratar de um local de serviços sexuais. Ou seja, o local funciona também como uma casa de protituição. 

O Twitter oficial da clínica postou uma foto do atleta ao lado de uma das muitas enfermeiras. Em cima dessa publicação, o perfil oficial de Nasri fez diversos comentários comprometedores: "Também me proporcionaram um serviço sexual completo depois. Por isso, amigos, não se esqueçam de solicitar este serviço".

E mais:  Acidente de Schumacher completa 3 anos e pouco se sabe sobre o estado de saúde

E continou: "Desculpem, amigos, mas tinha de dizer ao mundo que a minha namorada Anara estava comigo naquele momento em que fiz o tratamento. Depois, Anara tinha saído da sala e a enfermeira pediu o número do meu celular para sair comigo naquela noite. O serviço ficou completo no hotel. Tudo o que digo é 100% real. A rapariga da imagem chama-se Jamilah. Chegamos no meu quarto às 3h da manhã e ela continuou com outros serviços que não aparecem no menu".

Confira:  Acusado de racismo, ex-jogador Gascoigne apanha em bar e vai parar no hospital

Obviamente que as mensagens polêmicas foram apagadas do Twitter de Nasri, que negou que tenha escrito aquelas palavras e se disse vítima de um hacker: "Alguém atacou a minha conta e difundiu rumores que são falsos. Peço desculpa aos envolvidos", comentou o francês.

    Leia tudo sobre: Futebol