Tamanho do texto

Zagueiro é um dos poucos sobreviventes da tragédia aérea que matou 71 pessoas na Colômbia

Neto poderá voltar aos treinos entre três e quatro meses, de acordo com o médico da Chape
Reprodução
Neto poderá voltar aos treinos entre três e quatro meses, de acordo com o médico da Chape

O zagueiro Neto, que sobreviveu ao acidente aéreo com o time da Chapecoense, pode voltar a treinar dentro de três ou quatro meses, disse o médico do clube Marcos Sonagli. O jogador está internado na cidade de Chapecó e, no último sábado, caminhou pela primeira vez desde a tragédia, com o auxílio de uma pessoa.

E mais:  Em recuperação, zagueiro Neto poderá voltar a jogar futebol: "A chance existe"

Neto tem realizado movimentos corporais com um colete que dá suporte à coluna, já que teve sua quinta vértebra lombar fraturada. "Ele conseguiu caminhar com um pouco de auxílio e não teve dor na região lombar. Ele tem falado que quer voltar a jogar, isso ele deixa bem claro. Mas a primeira intenção dele é ir para casa", contou Marcos Sonagli.

De acordo com o médico, o jogador terá que continuar com colete por mais 90 dias. "Mas acredito que ele poderá treinar, dependendo das lesões associadas aos membros inferiores, dentro de 90 a 120 dias, de três a quatro meses", disse.

Você viu?  Com Messi, Argentina correu mesmo risco da Chape e se "salvou" por 15 minutos

Neto é um dos quatro sobreviventes brasileiros do acidente com o avião da Chapecoense, que caiu em Medelín, na Colômbia, e matou 71 pessoas. Os outros que saíram com vida são o goleiro Jackson Follmann, o jornalista Rafael Henzel e o lateral Alan Ruschel. Além deles, a comissária de bordo Ximena Suárez e o técnico de aeronave Erwin Tumiri também se salvaram.

E mais:  Brasileiro tira a camisa pela Chape e árbitro não dá amarelo: "Fingi que nem vi"

Veja fotos do último adeus na Arena Condá


Alan Ruschel já saiu

Aos 31 anos de idade, Neto ficará internado no Hospital Unimed, em Chapecó, ainda sem qualquer previsão de alta. Neste mesmo já passou o lateral Alan Ruschel, que recebeu alta na última sexta-feira, e o jornalista Rafael Henzel, que segue se recuperando bem e deve sair nas próximas horas. O goleiro Follmann estava no hospital Albert Einstein, em São Paulo, e no final de semana também foi transferido para cidade catarinense.

    Leia tudo sobre: Futebol