Tamanho do texto

Comandante "não declarou emergência" e o avião da empresa aérea colombiana "não apresentou fuga, escape ou derramamento de combustível"

Ao contrário do que havia sido divulgado até o momento, a empresa aérea VivaColombia emitiu uma nota oficial desmentindo a informação de que um dos seus voos tenha apresentado um pedido de emergência para o pouso, prejudicando o avião da Chapecoense que também fez uma solicitação urgente de pouso.

Ouça:  Áudio mostra piloto da Chapecoense desesperado e pedindo para pousar

Segundo a nota publicada pelo "La Razón Digital", o comandante do voo FC8170 "não declarou emergência" e o avião  da empresa aérea colombiana "não apresentou fuga, escape ou derramamento de combustível".

Avião da Viva Colômbia nega que tenha atrapalhado o voo da Chapecoense
Divulgação / Viva Colômbia
Avião da Viva Colômbia nega que tenha atrapalhado o voo da Chapecoense

A versão contradiz o relato de passageiros, que informaram que o capitão usou a palavra "emergência" antes do pouso, e até mesmo a versão da controladora de voo, que informou ao piloto da LaMia que sua aeronave teria que esperar um outro voo que havia pedido prioridade para pousar.

Confira:  Falta de combustível causou queda de avião, diz aviação civil colombiana

Por conta dessa demora para conseguir autorização para pousar no aeroporto de Medellín, a aeronave que levava a Chape ficou sem combustível e caiu, matando 71 pessoas e deixando apenas seis sobreviventes.

Veja fotos da tragédia com a delegação da Chapecoense


Sobreviventes

Os quatro sobreviventes brasileiros da tragédia - os jogadores Neto, Alan Ruschel e Follmann e o jornalista Rafael Henzel - estão apresentando um bom quadro de melhora, apesar de ainda estarem em situação crítica.

Segundo familiares, estão sendo tomadas medidas para que todos sejam levados para um mesmo hospital para facilitar o trabalho dos médicos brasileiros que foram enviados à Colômbia para ajudar no recolhimento de informações. No entanto, ainda não há previsão de alta dos pacientes.

Veja também:  Jogadores não correm risco de morte, diz dirigente da Chapecoense

Eles estão entre os seis que foram retirados com vida dos destroços do avião da Chapecoense, que caiu na Colômbia. Os outros dois são da tripulação: a comissária de bordo Ximena Suárez e o técnico da aeronave Erwin Tumiri. Ambos estão em boas condições, tendo sofrido poucos ferimentos.

    Leia tudo sobre: Futebol