Tamanho do texto

"Aos colombianos, fica o nosso muito obrigado!", disse, em nota, a entidade máxima do futebol brasileiro; Em Medellín, Serra fez discurso emocionado

A CBF agradeceu os colombianos por tributo à Chapecoense
Reprodução/Twitter/Federico Gutiérrez/Prefeito de Medellín
A CBF agradeceu os colombianos por tributo à Chapecoense

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) agradeceu, nesta quinta-feira (1º), a homenagem prestada pelos colombianos, que lotaram o estádio Atanasio Girardot na noite desta quarta (30) . Foram lançados balões brancos e pronunciados os nomes das 71 vítimas da queda do avião que seguia para a Colômbia com o time, convidados e profissionais da imprensa esportiva. 

"Aos colombianos, fica o nosso muito obrigado! Essa noite de carinho não será esquecida!", diz o texto da CBF , que também conta a comoção que envolveu torcedores na Arena Condá, casa do time catarinense. "Enquanto o sofrimento insiste em machucar o espírito dos familiares, amigos e pessoas que comoveram-se com a tragédia, a solidariedade que emanou de Chapecó e Medellín certamente fez um afago na alma de todos os que precisam de apoio e força nestes dias tão difíceis", prosseguiu.

LEIA MAIS: Falta de combustível causou queda de avião, diz aviação civil colombiana

Veja o texto abaixo na íntegra

"A noite de quarta-feira (30) estava reservada às emoções da primeira partida da final da Copa Sul-Americana. A tragédia de Cerro Gordo interrompeu a trajetória terrena de 71 pessoas e instalou a dor em nossos corações. Mas, no exato momento em que a bola deveria rolar, as torcidas de Atlético Nacional e Chapecoense nos deram demonstrações de esperança e fé.

Na Arena Condá e no Atanasio Girardot, mais de 100 mil pessoas, dentro e fora dos estádios, se reuniram para homenagear as vítimas do acidente aéreo ocorrido na madrugada na última quarta-feira (29).

Enquanto o sofrimento insiste em machucar o espírito dos familiares, amigos e pessoas que comoveram-se com a tragédia, a solidariedade que emanou de Chapecó e Medellín, certamente, fez um afago na alma de todos que precisam de apoio e força nestes dias tão difíceis.

Os torcedores da Chapecoense lotaram a Arena Condá para o "Tributo Verde e Branco", uma vigília de solidariedade pelas vítimas e uma corrente de fé pela recuperação dos sobreviventes. Os nomes foram entoados e cantos se somaram às orações em uma noite de homenagens.

No Atanasio Girardot, balões brancos foram levados ao ceú, enquanto eram pronunciados os nomes de todas as vítimas, entre jogadores, convidados, jornalistas e tripulantes. Autoridades colombianas e brasileiras, acompanhadas da delegação do Atlético Nacional, ficaram no gramado, consolados pela energia que vinha das arquibancadas.

A CBF mantém toda a sua estrutura no apoio às famílias e à Chapecoense, com representantes trabalhando nos dois países, em conjunto com as mais diversas instituições, nesta corrente de solidariedade.

Aos colombianos, fica o nosso muito obrigado! Essa noite de carinho não será esquecida!"

As ruas do entorno do estádio em Medellín ficaram lotadas, e a delegação do clube Atlético Nacional participou da homenagem no gramado. O time colombiano seria o adversário dos brasileiros na final, mas já se manifestou publicamente pedindo que a Chapecoense seja declarada campeã da Sul-Americana.

Em Santa Catarina, a vigília levou torcedores vestidos com as cores verde e branco para o estádio, e cantos foram entoados em homenagem às vítimas.

90 minutos de silêncio

O canal de TV " FOX Sports ", que perdeu seis profissionais no acidente aéreo, homenageou as vítimas com 90 minutos de silêncio na noite de ontem, também no horário em que seria disputada a partida.

No intervalo, o canal exibiu depoimentos em homenagem aos trabalhadores que acompanhavam a Chapecoense em sua primeira final internacional: Deva Pascovicci, Mário Sérgio, Paulo Julio Clement, Victorino Chermont, Rodrigo Santana e Lilacio Junior.

O canal " FOX Sports 2 " transmitiu as homenagens na Colômbia e em Santa Catarina.

Agradecimento de José Serra

Representando o Brasil em Medellín, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, fez um discurso emocionado. “Nós brasileiros não esqueceremos jamais a forma como os colombianos sentiram como seu o terrível desastre que interrompeu o sonho da heroica equipe da Chapecoense. Assim como não esqueceremos a atitude do Atlético Nacional e de todos os torcedores que pediram que se concedesse o título da Copa Sul-Americana à Chapecoense. Um gesto que honra o esporte e que honra a querida cidade de Medellín”, disse.

LEIA MAIS: Todos os 71 corpos já foram identificados pelo IML colombiano

José Serra fez discurso emocionado em Medellín
Reprodução
José Serra fez discurso emocionado em Medellín

A homenagem durou 90 minutos, tempo total de uma partida. Na Arena Condá, milhares de pessoas se reuniram para uma cerimônia religiosa e para lembrar dos "heróis" locais, com muitas lágrimas e homenagens. Com cantos de "é campeão" e da música criada pelos torcedores do Nacional para a Chapecoense, os torcedores promoveram uma belíssima homenagem aos falecidos.

“A tragédia que vitimou também jornalistas e membros da tripulação e as inúmeras manifestações de carinho para a Chape no Brasil, na Colômbia e no mundo são testemunhas da importância da nobreza do esporte como catalisador dos melhores sentimentos humanos, como arma para combater a intolerância, como instrumento para construirmos um mundo melhor”, continuou Serra, lembrando que as cores da Chapecoense e do Atlético são verde e branco, “esperança e paz”.

Diante de tantos erros nos últimos dias, um agradecimento, sem dúvida, é o mínimo que a CBF poderia fazer. *Com informações da Agência Ansa e Agência Brasil .

    Leia tudo sobre: futebol