Tamanho do texto

Avião com os jogadores do time brasileiro caiu na Colômbia e o site não perdeu a oportunidade capitalizar com matérias de extremo mau gosto

O site Catraca Livre teve a infeliz ideia de explorar a tragédia com o time da Chapecoense da pior maneira possível. Na manhã desta terça-feira (29), para capitalizar com a tragédia aérea que vitimou 19 atletas equipe de futebol catarinense, jornalistas e tripulação (ao todo 71 pessoas morreram), o site fez postagens de extremo mau gosto nas suas redes sociais.

Piloto de voo da Chape relatou "falha total", mostra áudio; veja mais detalhes

Site Catraca Livre usou a tragédia com a Chapecoense para ganhar audiência e não foi perdoa nas redes
DIVULGAÇÃO/CHAPECOENSE
Site Catraca Livre usou a tragédia com a Chapecoense para ganhar audiência e não foi perdoa nas redes

Logo após o acidente, o Catraca Livre fez uma publicação com a foto de jogadores do time com a seguinte chamada: “10 fotos de pessoas em seu último dia de vida”. Outro post nas redes sociais trazia vídeos com a reação de passageiros durante um acidente de avião. 

Tripulantes do voo da Chapecoense relatam queda de luz e pânico a bordo

Muito xingado pelos leitores, o site tentou explicar o que, na verdade, não tem a menor explicação e foi ainda mais rechaçado pelos internautas. Em uma publicação na internet, o Catraca Livre disse: "entendemos as críticas e as respeitamos. Mas consideramos relevante jornalisticamente mostrar outros aspectos da tragédia como, por exemplo, o medo de voar e os mitos. Em momentos assim, o pânico se espraia: é necessário mostrar que o avião é o meio mais seguro de transporte". Segundo o Catraca, eles queriam "contribuir" para que as pessoas soubessem lidar com o problema. 

Mais tarde, o criador da Catraca Livre Gilberto Dimenstein quis chamar para si a responsabilidade pelos erros abusivos. Fez isso de forma errada e atrasado. Para se desculpar da sua postura irresponsável e desrespeitosa, Dimenstein publicou uma nota onde consegue a proeza de reafirmar sua arrogância e ao mesmo tempo aproveitar a oportunidade de se auto promover ao dizer que: “Ganhei todos os prêmios possíveis como escritor e jornalista”. O que seu impecável currículo tem a ver com sua impecável grosseria? 

Sobreviventes de voo estavam na mesma parte do avião, diz bombeiro

Para piorar, ele continua com a seguinte pérola: “Aprendi que pior do que errar é não reconhecer o erro”. Nada disso. Para quem já ganhou tantos prêmios, o pior erro é cometer esse tipo de erro. Pedir desculpas, neste tipo de situação, é uma tentativa infantil de tentar conviver melhor com a culpa e se eximir da responsabilidade. O erro veio de quem não poderia, a sequência de erros poderia ter sido evitada, mas a ganância falou mais alto.​ Mais uma vez os leitores não perdoaram o site, que continua recebendo criticas cada vez mais pesadas e perdendo seguidores na sua pagina do Facebook. É possível acompanhar os números caindo ao vivo. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.