Tamanho do texto

Segunda divisão do país asiático terminou faltando duas rodadas após o falecimento da autoridade aos 88 anos de idade

Morte do rei Bhumibol Adulyadej encerrou o campeonato na Tailândia
Divulgação
Morte do rei Bhumibol Adulyadej encerrou o campeonato na Tailândia

Quando o atacante Ricardo Jesus chegou ao futebol da Tailândia para defender o Thai Honda, clube que disputa a segunda divisão do país, o objetivo era ser campeão e conquistar uma vaga na liga principal. Os objetivos traçados pelo brasileiro foram conquistados, mas ele não comemorou as conquistas.

E mais:  Atacante é punido por comemorar gol "dançando de forma sexual"

Faltando ainda duas rodadas para o termino da temporada na Tailândia , a equipe do atacante brasileiro já havia conquistado o acesso e buscava o título, quando a competição foi encerrada antes da hora. O motivo: a morte do rei Bhumibol Adulyadej, no dia 13 de outubro, após mais de 70 anos de reinado. 

"Chegamos para treinar e nos informaram que o campeonato tinha acabado por causa da morte do rei. Ele estava com 88 anos e lutando pela vida há algum tempo. Com isso nos sagramos campeões, pois o luto para a morte do rei dura um mês, então não poderia ter jogos neste período", disse Ricardo Jesus.

Ricardo Jesus é jogador do Thai Honda
Divulgação
Ricardo Jesus é jogador do Thai Honda


País abalado

"Mesmo conquistando o título, não comemoramos. O país todo ficou bem abalado. Ele era como um semideus. Apesar de a nação ser comandanda pelo exercito, ele tinha muita força. A população o adorava, a imagem dele está por toda parte. Até no cinema antes do filme tocava o hino dele e todos se levantavam para reverenciar", contou Ricardo.

Veja nomes:  Com Neymar entre os 30, Bola de Ouro divulga todos os indicados ao prêmio

Atualmente com 31 anos de idade, Ricardo Jesus teve passagens por Internacional, Atlético-GO, Portuguesa, Avaí, Fortaleza e Ponte Preta, além de defender clubes do exterior, como Querétaro e Tijuana, do México, Spartak Nalchik e CSKA Moscou, da Rússia, e Larissa, da Grécia. Para ele, essa foi uma das situações mais inusitadas que viveu.

Leia tudo sobre futebol no iG

“A Tailândia parou. Só ficou funcionando os serviços básicos, como mercado. Até na TV só passa noticiários sobre isso. Recebemos uma notícia boa, que foi a conquista do título, mas não celebramos e nem vamos celebrar”, finalizou o atacante brasileiro.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.