Tamanho do texto

Essas proibições do grupo extremista são relacionadas, principalmente, aos produtos de Nike e Adidas

Estado Islâmico não quer o uso de camisas de futebol
Reprodução
Estado Islâmico não quer o uso de camisas de futebol

O grupo extremista Estado Islâmico parece estar decidido em dar pitacos no esporte. Recentemente os rebeldes proibiram que árbitros apitem as partidas de futebol  disputadas na Síria, já que eles respeitam as regras impostas pela Fifa e violam os mandamentos e as leia de Alá; agora a questão é com relação às camisas de times: os cidadãos que estiverem com uniformes serão punidos com 80 chibatadas.

E mais:  Estado Islâmico propõe futebol com "leis de Alá", sem árbitro e com agressões

Segundo o diário britânico "Daily Mirror", o Estado Islâmico fez uma lista de proibições onde aparecem clubes como Real Madrid, Barcelona e Manchester United, bem como itens de outras modalidades, como camisas de times da NBA.  Essas proibições são relacionadas, principalmente, aos produtos de Nike e Adidas.

Veja:  Ataque terrorista do Estado Islâmico mata 16 torcedores do Real Madrid no Iraque

Além disso, uma publicação do "The Independent" revelou que três homens foram publicamente agredidos por jogarem futebol na cidade de Mossul, localizada no Iraque. Os extremistas do Estado Islâmico chegaram a rasgar a camisa do Barcelona utilizada por um dos homens, que tinham o nome de Messi nas costas.