Tamanho do texto

Delegação do Trujillanos ficou por seis horas sob domínio dos criminosos, que ainda furtaram materiais esportivos e roupas dos atletas

Jogadores e comissão técnica do Trujillanos, clube da Venezuela, passaram por momentos de tensão após a derrota por 2 a 1 diante do Monagas, em partida válida pelo torneio Clausura do futebol no país. Eles passavam de ônibus por Boca de Uchire, em Anzoátegui, quando foram abordados por homens com armas e granadas. 

E mais:  Brasileiro deixa de pagar contas básicas para gastar com futebol, mostra estudo

Jogadores do Trujillanos após o sequestro e a ameaça feita pelos criminosos
Reprodução
Jogadores do Trujillanos após o sequestro e a ameaça feita pelos criminosos

"A família do Trujillanos condena os atos lamentáveis que prejudicam o desenvolvimento do futebol nacional. Os homens ainda nos ameaçaram de morte e disseram que, caso o ônibus tivesse GPS ou estivesse sendo escoltado, ele seria detonado por granadas", disse um comunicado oficial do clube.

Segundo informou o diário "As", a delegação ficou por seis horas sob domínio dos criminosos, que ainda furtaram materiais esportivos e roupas dos atletas.

O Trujillanos ocupa atualmente a modesta 14ª colocação do Campeonato Venezuelano com 14 pontos em 13 jogos disputados. No primeiro semestre, a equipe disputou a Libertadores da América e ficou na última colocação no grupo do São Paulo - diante do clube brasileiro, a equipe da Venezuela empatou em casa por 1 a 1 e perdeu no Morumbi por 6 a 0.

    Leia tudo sobre: Futebol