Tamanho do texto

Fundado em 1900, clube da cidade de Campinas é o mais velho do estado de São Paulo e ficou com o vice de torneios importantes em oito oportunidades

Fellipe Bastos fez história ao marcar o gol da Ponte Preta na final da Sul-Americana contra o Lanús
Arquivo iG
Fellipe Bastos fez história ao marcar o gol da Ponte Preta na final da Sul-Americana contra o Lanús

São mais de 100 anos de história, diversos confrontos históricos com o rival Guarani, mas nenhum título importante. Estou falando da Ponte Preta, o segundo clube mais velho do Brasil, em atividade ininterrupta, fundado em 1900, nunca teve o gosto de gritar “campeão” de um torneio 'grande'. E podemos lembrar de pelo menos oito torneios que o resultado final foi o mesmo: a segunda colocação.

LEIA MAIS:  Michael Jackson, a ex-jogadora de futebol com mais gols do que Pelé

Vale frisar que além de conquistas simbólicas, como o Campeonato do Interior entregue pela Federação Paulista de Futebol, alguns do Campeonato Campineiro e o bicampeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior, a Ponte Preta foi a campeã da Primeira Divisão do Paulista de 1969, equivalente à Série A2 hoje, mas, pelo tamanho do time, sendo o interiorano que mais cedeu jogadores à seleção brasileira, é pouco.

Vices no Campeonato Paulista

A primeira vez que a Ponte foi vice do Campeonato Paulista foi em 1970. Logo após conseguir o acesso, o time campineiro fez uma bela campanha e terminou o primeiro turno invicto, sendo que conseguiu empatar com o Corinthians, derrotar o tricampeão Santos, de Pelé, empatar com o São Paulo, derrotar o arquirrival Guarani, vencer a Portuguesa e empatar com o Palmeiras. Mas acabou caindo muito de rendimento e terminou o torneio na segunda colocação, sendo que o campeão foi o São Paulo.

O estadual de 1977 é emblemático porque acabou com o jejum de títulos do Corinthians que já durava 23 anos. Mas a Ponte lutou muito para conseguir o primeiro título importante naquele ano. Fora três jogos na decisão. O primeiro, 1 a 0 para o Corinthians, o segundo, diante de mais de 138 mil pessoas no Morumbi, a Macaca surpreendeu e fez 2 a 1, o que forçou o terceiro confronto. Mas não deu para eles. Basílio marcou e a Ponte ficou com o segundo vice.

Equipe da Ponte Preta no vice de 1977
Divulgação
Equipe da Ponte Preta no vice de 1977

LEIA MAIS:  Boca Juniors, o maior carrasco dos times brasileiros na Libertadores

A Ponte chegou ao terceiro vice no Campeonato Paulista de 1979. Após várias divergências, a final aconteceu somente em janeiro de 1980, diante do Corinthians novamente. Em três partidas, a equipe, dessa vez, não teve muitas chances. Foram duas derrotas e um empate e o grito continuou entalado na garganta.

Dois anos depois, mais uma final e mais um vice-campeonato. A decisão aconteceu em dois jogos no estádio do Morumbi diante dos donos da casa. No primeiro, empate em 1 a 1 e a decisão em aberto, porém no segundo, o tricolor não deu chances e venceu por 2 a 0, deixando a Ponte no quase mais uma vez.

Depois do quarto vice, foram necessários mais 27 anos para a equipe de Campinas voltar a uma decisão de Campeonato Paulista. Depois de terminar na quarta colocação na 1ª fase, a Macaca enfrentou o Guaratinguetá nas semifinais. Foram duas vitórias e a classificação à final garantida. O adversário foi o Palmeiras e o alviverde não deu chances. Venceu por 1 a 0 no Moisés Lucarelli e goleou por 5 a 0 no Palestra Itália.  

Vices da Série B do Campeonato Brasileiro

Em 1997 a Ponte ficou no quase mais uma vez, mas desta vez no Campeonato Brasileiro da Série B. Entre 25 participantes onde apenas dois subiriam à Série A, a Macaca terminou o torneio com os mesmos 46 pontos do América Mineiro, mas com uma vitória a menos, ficou na segunda colocação. O prêmio de consolação foi o acesso á elite nacional.

O mais recente vice da equipe campineira foi na Série B de 2014. Em uma campanha impecável, com apenas sete derrotas em 38 jogos, a Ponte liderou o torneio durante várias rodadas, mas no fim terminou um ponto atrás do Joinville, que venceu dois jogos a mais. Vale ressaltar que o Vasco da Gama participou da segundona daquele ano, mas terminou na terceira colocação.

Vice na Copa Sul-Americana

Foi uma campanha histórica. Após entrar já na segunda fase (de acordo com o regulamento, times brasileiros e argentinos não jogam a primeira), a Ponte enfrentou o Criciúma e se deu bem. Venceu o primeiro jogo por 2 a 1 e empatou o segundo sem gols. Enfrentou o Deportivo Pasto, da Colômbia, nas oitavas. Venceu o primeiro por 2 a 0 e, apesar da derrota na segunda partida por 1 a 0, conseguiu avançar.

Nas quartas de final, o adversário foi o argentino Velez Sarsfield, campeão da Libertadores, Recopa e dez vezes do Campeonato Nacional. Na primeira partida, empate sem gols em São Paulo. Mas no estádio José Amalfitani, a história foi feita. O time paulista venceu por 2 a 0 e passou à semifinal.

LEIA MAIS:  David Beckham: relembre a trajetória e assista dez golaços do inglês

Estar entre os quatro melhores de um torneio internacional já era uma grande conquista, mas a equipe comandada pelo técnico Jorginho queria mais. Em um confronto de brasileiros contra o São Paulo, a Macaca se deu melhor e avançou à decisão. No primeiro jogo, em Campinas, empate por 1 a 1, já na capital paulista, vitória por 3 a 1 e vaga garantida.

Torcida da Ponte Preta fez bonito na final da Copa Sul-Americana de 2013
Reprodução
Torcida da Ponte Preta fez bonito na final da Copa Sul-Americana de 2013

O adversário na finalíssima foi o Lanús, da Argentina. O primeiro jogo foi realizado no estádio do Pacaembu para mais de 28 mil pessoas e terminou tudo igual: 1 a 1. No jogo de volta, no estádio Ciudad de Lanús, o escrete campineiro não resistiu e foi superado por 2 a 0, ficando com mais um vice-campeonato.

A história da Ponte Preta, clube mais velho do estado de São Paulo, é riquíssima, mas torcemos para que, em um futuro próximo, o primeiro título de um torneio com maior expressão chegue, e tudo fique ainda mais brilhante nas dependências do Moisés Lucarelli.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.