Tamanho do texto

"É um auxílio muito importante para a gente por ter a convivência e a experiência dele. Ele é importante não só dentro de campo, mas também nas conversas", disse Alisson

Rogério Ceni é o auxiliar pontual de Dunga na seleção
CBF/Divulgação
Rogério Ceni é o auxiliar pontual de Dunga na seleção


Em grande parte do primeiro treinamento como auxiliar pontual da seleção brasileira nesta terça-feira, Rogério Ceni auxiliou os goleiros Diego Alves e Alisson. Conversando com o preparador Taffarel, o ex-são-paulino participou diretamente do treinamento de finalização e impulsão. Apenas na segunda parte da atividade, quando Dunga fez um trabalho tático na metade do campo, Ceni se juntou ao restante do grupo.

E MAIS

Ceni chega à seleção com expectativa de aprender e ser campeão

"É um auxílio muito importante para a gente por ter a convivência e a experiência dele. Ele é importante não só dentro de campo, mas também nas conversas. Convivendo assim temos uma ideia melhor da importância dele para o futebol", disse Alisson ao site oficial da CBF.

Rogério Ceni presenteia Ederson
CBF/Divulgação
Rogério Ceni presenteia Ederson

Ceni está de volta à seleção depois de dez anos. Sua última participação foi em 2006, depois do pentacampeonato, em um amistoso contra o Paraguai, em Fortaleza. Na concentração da seleção, ele reencontrou companheiros dos tempos do São Paulo, como Kaká, Miranda, Rodrigo Caio e Casemiro, além de rivais como Elias, Lucas Lima e Renato Augusto.

O ex-goleiro também encontrou Ederson, que foi desconvocado por causa de uma inflamação no púbis e começou a carreira no próprio São Paulo. O goleiro do Benfica ficou emocionado ao ganhar uma camisa do São Paulo autografada e um exemplar do livro "Rogério Ceni - Mito".