Tamanho do texto

"Temos atletas em começo e meio de temporada" explicou o preparador físico da equipe, Fábio Mahseredjian

Os diferentes níveis de desgaste físico dos jogadores da seleção brasileira - alguns no meio da temporada e outros no final - são motivos de preocupação da comissão técnica para a disputa da Copa América Centenário.

Seleção brasileira vai disputar a Copa América em junho
Rafael Ribeiro/CBF
Seleção brasileira vai disputar a Copa América em junho


"Temos atletas em começo e meio de temporada, como são aqueles que atuam no Brasil, como Lucas Lima e Elias, e atletas no final de temporada, como é o caso do Felipe Luís, do Casemiro, do Phillipe Coutinho. São problemas que teremos de enfrentar e readequar esses atletas", explicou o preparador físico da seleção, Fábio Mahseredjian.

O profissional vai analisar cada caso individualmente. "Vamos respeitar a individualidade de cada um, conversando com eles para saber se o treino está intenso. Aquele que tiver a necessidade de ser retirado, nós o faremos; aquele que precisar de complemento, nós também o faremos", disse o preparador.

Outro desafio da comissão técnica é a diferença de fuso horário. "Tenho uma grande preocupação agora de adaptá-los ao fuso horário. A diferença é quatro horas para o Brasil, sete a nove horas da Europa, o Hulk a dez horas, o fuso horário está contra nós neste momento, mas em três ou quatro dias, vão estar adaptados", planeja.

O grupo completo, com os 23 convocados, só estará disponível no início da próxima semana, já que o lateral-esquerdo Filipe Luís, do Atlético de Madrid, e o volante Casemiro, do Real Madrid, vão disputar a final da Liga dos Campeões da Europa no próximo sábado.

No próximo domingo, a equipe vai disputar um amistoso contra o Panamá, em Denver, a última partida antes da estreia na Copa América, no dia 4 de junho, diante do Equador, em Los Angeles.