Tamanho do texto

“Nossa cidade está em festa, acredita muito nessa equipe e vim falar isso para os jogadores", afirmou Jorge Lapas

Técnico do time, Fernando Diniz já é sondado por outros clubes
Reprodução
Técnico do time, Fernando Diniz já é sondado por outros clubes

Um recanto isolado na zona rural de Sorocaba, no interior de São Paulo, tornou-se o refúgio do Audax, a equipe mais badalada do momento, após a surpreendente chegada à final do Campeonato Paulista . Na tentativa de ficar longe dos holofotes, às vésperas da decisão contra o Santos , os jogadores e comissão técnica estão hospedados no Centro de Treinamento do Atlético Sorocaba.

Leia

Focado no Paulistão, Santos tenta evitar zebra na Copa do Brasil

Contas de 2015 são reprovadas e Modesto Jr. passa a correr riscos

O objetivo do técnico Fernando Diniz de isolar o time neste momento, no entanto, não foi totalmente alcançado. A boa fase do time fez o prefeito de Osasco, Jorge Lapas (PDT), aproveitar o treino aberto à imprensa para se deslocar até o local, que fica cerca de 70 km de distância de Osasco, na manhã desta quarta-feira.

Ele chegou acompanhado de assessores, acompanhou uma parte do treino, conversou com o treinador e alguns jogadores em particular e, for fim, foi ao centro do gramado, quando discursou para todo o elenco. “Nossa cidade está em festa, acredita muito nessa equipe e vim falar isso para os jogadores. Eles estão abrindo uma grande oportunidade para a garotada que gosta de futebol e vamos trabalhar na inclusão dessa molecada”, afirmou Lapas, que se diz o torcedor número 1 do time.

“Estamos fazendo história. Vamos mostrar nossa força, principalmente dentro de casa”, acrescentou o prefeito, referindo-se ao primeiro jogo da decisão, neste domingo, no estádio Prefeito José Liberatti.

A ida do Audax para Sorocaba não é uma novidade. Antes dos jogos decisivos contra o São Paulo (quartas de final) e o Corinthians (semifinal), Fernando Diniz já havia levado a equipe para Sorocaba, mas ele diz que isso não é superstição. “Aqui é muito bom para trabalhar e tem pouco movimento externo que possa distrair os jogadores”.

Segundo ele, o assédio excessivo pode atrapalhar neste momento. “No ano passado, no meio da competição, a gente teve muito mais assédio e alguns jogadores ficaram um pouco dispersos. Este ano, estamos procurando manter o foco”.

Perguntado se acredita que a equipe vai se desmanchar após o campeonato, o técnico disse que o elenco está unido e concentrado em produzir o melhor para ser campeão paulista. “Temos jogadores com qualidade técnica aliada a muito treino. A proposta é fazer o que temos feito até aqui, manter a posse de bola, olhar os companheiros, jogar um bom futebol”.

Segundo ele, o Audax é um conjunto de atletas em busca de amadurecimento. “Hoje, o que temos são bons talentos querendo emergir. O que faz a força do grupo, que pode nos levar ao título, é essa união”.