Tamanho do texto

Em entrevista concedida à Revista Palmeiras, distribuída aos sócios Avanti, técnico falou sobre sua chegada ao clube

Depois de um começo complicado, Cuca começa a colher resultados no Palmeiras
JOSé LUIS SILVA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO
Depois de um começo complicado, Cuca começa a colher resultados no Palmeiras

Depois de um início complicado, o técnico Cuca começa a colher resultados positivos no comando do Palmeiras. Com oito jogos realizados no comando do clube, o treinador está conseguindo resultados e colocando um padrão na equipe que, nesta quinta-feira, decide seu futuro na Copa Libertadores contra o River Plate (URU).

Leia também:

+ Palmeiras controla ansiedade para evitar lamentações na quinta-feira

Ex-jogador do Palmeiras, onde atuou em 1992, na época do jejum de conquistas. Desde então, sonhava em voltar ao clube para ser treinador e completar sua história e hoje, o paranaense de 52 anos, tem a chance de atingir seu objetivo.

“Quero só vibrar. Ser campeão. No Atlético-MG, não queria pôster, nome escrito... Mas aquela noite de 24 de julho de 2013 (título da Libertadores), está marcada para sempre. Nunca mais na vida eu esqueço o que passei e o que senti naquele dia. No meu último suspiro, estarei lembrando daquilo. Se Deus quiser, vou ter aqui no Palmeiras uma coisa assim, ou maior ainda”, projeta, ao ser questionado sobre o desejo de ser campeão pelo clube do coração.

O início ruim gerou desconfiança tanto da capacidade do treinador quanto da competência do elenco, mas com o "Jeito Cuca", o treinador organizou o vestiário da equipe e começou a colher os louros.

Capa da Revista Palmeiras que conta com uma entrevista do novo técnico palmeirense Cuca
Revista Palmeiras
Capa da Revista Palmeiras que conta com uma entrevista do novo técnico palmeirense Cuca

“Quando entro em um clube, eu o pego como se fosse meu. As dores, os problemas... Eu quero arrumar tudo. Mexo, fuço, gosto de montar time do meu jeito, e sinto que o Alexandre (Mattos, diretor de futebol) e o Paulo (Nobre, presidente) são pessoas iguais a mim. Eles vão me deixar montar o meu time.”, acredita o técnico.

Outro fator que o treinador se apega para acreditar no seu sucesso é o fato de ser especialista em montar times, fato que se comprova quando ele dirigiu um rival alviverde, montando a base do São Paulo campeão de 2005.

“Montamos em 2004 um time em que perdemos a Libertadores para o Once Caldas, aquelas coisas que acontecem uma vez na vida, mas deixamos uma base lá que ganhou muitos títulos com (Paulo) Autuori e Muricy (Ramalho), por mérito deles, é claro, mas com uma base já montada”, lembra o treinador que, depois de excelente trabalho no Goiás, levou Josué, Grafite e Danilo para o Morumbi, sendo um dos responsáveis pela formação do posterior Campeão do Mundo e Tricampeão Brasileiro.

A história de Cuca no Palmeiras ganhará mais um capítulo nesta quinta-feira, quando dirigirá a equipe pela primeira vez dentro do Allianz Parque e tentará sobreviver dentro da Libertadores de América.

    Leia tudo sobre: Futebol