Tamanho do texto

Entre os destaques individuais, o técnico reservou elogios a Marcelo Cirino, autor de dois gols na partida contra o Resende

Muricy Ramalho é só sorrisos no Flamengo
Gilvan de Souza / Flamengo
Muricy Ramalho é só sorrisos no Flamengo


Muricy Ramalho não escondeu a satisfação pela goleada do Flamengo sobre o Resende por 5 a 0 , neste domingo. O treinador distribuiu elogios ao time e aos jogadores e projetou bom crescimento do time. "Estão dando liga", disse, em recado aos adversários.

"Temos jogadores com muita velocidade pelos lados do campo. Quando funciona assim, fica difícil de marcar. Rodinei, Cirino, Emerson, Jorge e Arão encostando. Estão dando liga. Estamos melhorando pouco a pouco, no caminho certo", disse o técnico, atribuindo à velocidade do time o placar prematuro de 2 a 0 com apenas cinco minutos de jogo.

E mais
Com Mancuello de garçom, Flamengo goleia Resende e garante vaga

"A gente entrou com esse espírito, com o time descansado, conversamos justamente isso antes do jogo. Lembramos que o adversário ia sentir, porque eles jogaram durante a semana e o time que entrou hoje não. Então fomos superiores também fisicamente", analisou Muricy.

Entre os destaques individuais, o técnico reservou elogios a Marcelo Cirino, autor de dois gols na partida disputada em Volta Redonda. "É um jogador que eu já queria quando eu estava no São Paulo. Tínhamos interesse, mas o Flamengo chegou na frente. Ele tem muita velocidade e, quando está concentrado, é muito difícil de parar. Ele e o Emerson têm que usar o que têm de melhor, essa velocidade pelos lados."

Também sobrou considerações positivas para os estrangeiros do time. "Hoje, no futebol, o volante tem que jogar. A gente escolheu o Cuéllar pelo histórico do bom passe, da movimentação, tem pegada curta muito importante. Ele vem se adaptando pouco a pouco, em um ambiente muito bom. Já o Mancuello enxerga muito bem o jogo, deu passe lindo para o Cirino", comentou.

Para Muricy, a boa atuação comprova a evolução do Flamengo neste início de temporada. "O que dá para tirar dessa partida é o que nos conversamos antes do jogo, um time consciente do que está fazendo. A gente precisava se impor. Eles estão trabalhando forte, estão comprometidos. Fizemos três jogos contra times grandes, de Série A. Contra Vasco, Fluminense e América-MG, perdemos dois e ganhamos um. Pouco a pouco estamos encontrando o time, já dá para ter ideia do que vamos ter em campo", avaliou.