Tamanho do texto

Final da Copa na Alemanha ficou marcada pela agressão de Zizou ao zagueiro italiano. Lance gerou expulsão do francês

Zidane da cabeçada em Materazzi na final da Copa do Mundo de 2006
EFE
Zidane da cabeçada em Materazzi na final da Copa do Mundo de 2006


Marcado por ter levado uma cabeçada de Zinedine Zidane na final da Copa do Mundo de 2006, em que a Itália bateu a França nos pênaltis, o ex-zagueiro Marco Materazzi disse nesta terça-feira que torce pelo sucesso do ex-craque como técnico do Real Madrid, mas alertou para as dificuldades que 'Zizou' enfrentará.

"Zidane pode contar com o peso de sua personalidade no vestiário. Mas não será fácil para ele. Os grandes ex-jogadores que chegam ao banco estão condenados a vencer após dois ou três jogos. Eu, em todo caso, não sou irônico e lhe desejo sorte", disse o ex-defensor ao jornal "Gazzetta dello Sport".

LEIA TAMBÉM:
+  Zidane causa furor em seu primeiro treino à frente do Real Madrid

Materazzi também enviou um recado a Rafa Benítez, com quem trabalhou na Inter de Milão e que foi demitido ontem do Real. Na visão do italiano, é difícil ter sucesso à frente de um time sem um bom relacionamento com o elenco.

"Eu tinha previsto que isso aconteceria, só me equivoquei em uns 10 dias. Você pode ser o melhor do mundo, mas se não tem empatia com os jogadores, se não se aproxima dos que têm mais personalidade e dos que não jogam, não é possível ir longe. São os que jogam menos os que salvam nos momentos difíceis", comentou o ex-atleta, que mencionou também a dificuldade de se treinar o time madrilenho.

"O Real Madrid é uma realidade difícil. Não basta que o presidente dê respaldo para ter uma imunidade. Para os torcedores, não basta vencer por 1 a 0 ou mesmo fazer muitos gols se a defesa também sofrer muitos", considerou.