Tamanho do texto

Após duelo igual e com oportunidades desperdiçadas, portugueses perderam chance de igualar campanha de 2004, e espanhóis aguardam Itália ou Alemanha

Cristiano Ronaldo chora após a eliminação sofrida contra a Espanha
AP
Cristiano Ronaldo chora após a eliminação sofrida contra a Espanha

A Espanha é a primeiro finalista da Eurocopa 2012. A seleção espanhola conseguiu a classificação nesta quarta-feira após um empate em 0 a 0 com Portugal no tempo regulamentar e na prorrogação. Na decisão por pênaltis, Xabi Alonso perdeu sua cobrança, mas João Moutinho e Bruno Alves desperdiçaram suas chances pelo lado português, carimbando a vaga da atual campeã da competição européia.

A Espanha é favorita contra Itália ou Alemanha? Deixe seu comentário!

Espanha comemora classificação suada contra Portugal, e espera Alemanha ou Itália na final
Getty Images
Espanha comemora classificação suada contra Portugal, e espera Alemanha ou Itália na final

A partida foi marcada pelo equilíbrio desde o princípio. Acostumada a ter amplo domínio da bola, a Espanha encontrou no rival ibérico um adversário complicado, que conseguiu conter suas trocas de passes com marcação forte ainda no campo de ataque. Desta forma, a atual campeã mundial só levou perigo real na prorrogação.

Do outro lado, os portugueses, dependentes de Cristiano Ronaldo, viram seu principal atacante ser neutralizado, dependendo das bolas paradas para levar perigo a Casillas. Entretanto, com a bola rolando, o astro teve a oportunidade de matar o jogo no tempo normal, em um contra-ataque de três atacantes contra dois defensores aos 44 do segundo tempo, em que recebeu a bola livre, mas chutou por cima do gol.

Com o resultado, agora a Espanha espera o vencedor da partida entre Alemanha e Itália, que será realizada nesta quinta-feira, às 15h45 (horário de Brasília).

O jogo
O duelo começou bastante truncado, tirando a Espanha de seu estilo de sua zona de conforto, que envolve intermináveis trocas de passes e posse de bola esmagadora. Com a marcação apertada da seleção portuguesa, os espanhóis tiveram muitas dificuldades para armar suas jogadas, dando chance a Portugal crescer na partida.

O equilíbrio da partida se refletia no número de finalizações. Chances de gol foram muito raras até cerca de 30 minutos do primeiro tempo. Aos 29, após troca de bolas próximo a área portuguesa, Iniesta conseguiu se livrar da marcação e arriscou um chute perigoso para o gol de Rui Patrício. Logo aos 31, Cristiano Ronaldo respondeu com um disparo rasteiro que passou à esquerda da trave de Casillas.

Bem marcado, Cristiano Ronaldo levava perigo nas bolas paradas
AP
Bem marcado, Cristiano Ronaldo levava perigo nas bolas paradas

O segundo tempo começou do mesmo jeito que o primeiro terminou: igual e com raras oportunidades de gol, apesar de a Espanha ter retomado um pouco de sua tranquilidade habitual, aproveitando um leve relaxamento na forte marcação portuguesa.

Aos 21 minutos da segunda etapa, Xabi Alonso decidiu assustar Rui Patrício. Após sofrer falta atrás do meio de campo, o meio-campista viu o arqueiro bastante adiantado e tentou surpreendê-lo com um chute longo por cobertura, mas acabou errando.

Principal estrela na partida, Cristiano Ronaldo não se escondeu da partida. Jogando nas pontas, o português procurava o jogo a todos os instantes, mas parava na marcação eficiente do time espanhol. Neutralizado com a bola rolando, coube a ele tentar a sorte nas bolas paradas. Aos 28 do segundo tempo, o craque arriscou em uma falta longa e central, mas a bola passou perigosamente por cima do travessão de Casillas. Em outra oportunidade, o camisa 7 de Portugal conseguiu espaço para arrancar com a bola, mas sofreu falta. Na cobrança, a bola foi parada com a mão por Arbeloa, que estava na barreira, dando nova chance ao craque, que, desta vez, chutou por cima do gol.

Aos 44, Cristiano Ronaldo perdeu a grande chance de conquistar a classificação para Portugal ainda no tempo normal. Após cruzamento errado da Espanha, os portugueses saíram em um contra-ataque veloz com Raul Meireles. Com apenas dois marcadores contra três atacantes, o astro recebeu a bola livre, mas novamente chutou por cima das traves, levando o jogo para a prorrogação.

Se no tempo normal a partida foi truncada, na prorrogação, com o maior medo de cometer erros, a situação não se alterou até os 13 do primeiro tempo, quando a Espanha fez sua grande jogada na partida. Pedro dominou a bola na ponta esquerda e deu dois lençóis sobre os marcadores e passou para Alba que cruzou para Iniesta ficar na cara de Rui Patrício, que fez uma defesa incrível e salvou a seleção portuguesa.

Bruno Alves acertou o travessão de Casillas nos pênaltis
AP
Bruno Alves acertou o travessão de Casillas nos pênaltis

Aos poucos o estilo de jogo espanhol começou a prevalecer no segundo tempo da prorrogação, com toque de bola no campo ofensivo. Jesús Navas também teve grande chance parada por Rui Patrício aos 5 minutos. Já aos 8, Pedro recebeu a bola no meio de campo livre de marcação e arrancou em direção ao gol; ao chegar na grande área, tentou uma finta, mas foi desarmado para alívio da torcida portuguesa. Apesar da pressão que se ensaiou nos minutos seguintes, o jogo foi aos pênaltis.

Nas penalidades máximas, Xabi Alonso e Fábio Coentrão abriram as cobranças com erros. Na quarta tentativa de Portugal, Bruno Alves perdeu sua oportunidade e coube a Fábregas encerrar a disputa. O meia do Barcelona cobrou firme no canto esquerdo e a bola ainda acertou a trave antes de entrar, encerrando a disputa. Com o resultado, a Espanha chega à sua segunda final consecutiva, com chances de conquistar o bi da Euro.

Fábregas cobrou o último pênalti, que decretou a eliminação portuguesa, e foi comemorar com Casillas
AP
Fábregas cobrou o último pênalti, que decretou a eliminação portuguesa, e foi comemorar com Casillas

FICHA TÉCNICA
Portugal 0 (2) x (4) 0 Espanha

Local: Donbass Arena, em Donestk-UCR

Data: 27 de junho de 2012, quarta-feira
Horário: 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Cüneyt Çakır (TUR)
Auxiliares: Bahattin Duran e Tarik Ongun (TUR)

PÊNALTIS
PORTUGAL:
 João Moutinho (X), Pepe (o), Nani (o) e Bruno Alves (X)
ESPANHA: Xabi Alonso (X), Iniesta (o), Piqué (o), Sergio Ramos (o) e Fábregas (o)

Cartões amarelos:  João Pereira, Pepe, Bruno Alves, Fábio Coentrão e Miguel Veloso (POR), Arbeloa, Sergio Ramos, Busquets, Xabi Alonso (ESP)

PORTUGAL: Rui Patrício; João Pereira, Pepe, Bruno Alves e Fábio Coentrão; Miguel Veloso (Custódio), Raúl Meireles (Silvestre Varela) e João Moutinho; Nani, Cristiano Ronaldo e Hugo Almeida (Nelson Oliveira)  Técnico: Paulo Bento

ESPANHA: Casillas; Arbeloa, Sergio Ramos, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Xabi Alonso, Iniesta, Xavi (Pedro) e David Silva (Jesús Navas); Negredo (Fábregas)  Técnico: Vicente del Bosque

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.