iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

26/12 - 12:20

Gangorra do futebol brasileiro apresenta estabilidade

Estados basicamente mantiveram o status da temporada passada, salvo algumas alterações

Gazeta Esportiva

O cenário do futebol brasileiro em 2010 teve poucas modificações em relação ao ano anterior. Na gangorra nacional, os estados basicamente mantiveram o status da temporada passada, salvo algumas alterações. O Rio de Janeiro, por exemplo, permaneceu dono do título do Brasileirão com a conquista do Fluminense, que repetiu o feito do Flamengo de 2009. Já os paulistas tiveram que se contentar em manter o título da Copa do Brasil, que saiu das mãos do Corinthians e migrou para o Santos.

Mas teve quem comemorasse uma melhora significativa em 2010. Caso, por exemplo, do Rio Grande do Sul, que viu o Internacional conquistar o título da Copa Libertadores. Além disso, no apagar das luzes, o Grêmio também se garantiu na competição sul-americana de 2011.

"Para o futebol do Rio Grande do Sul, o ano foi positivo, pois o Internacional conseguiu uma grande conquista na Copa Libertadores, mostrando a força do futebol gaúcho. Além disso, o Grêmio retornou para a Libertadores, que era um desejo de todos no clube", analisou o técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, que já dirigiu o Tricolor.

Minas Gerais também teve motivos para comemorar, uma vez que além de o Cruzeiro se manter na Copa Libertadores, o América conseguiu o acesso na Série B. Ou seja, em 2011 o estado volta a ter três representantes no Brasileirão. Outro motivo de festa foi o histórico acesso do Ituiutaba para a Série B.

"O futebol mineiro teve um bom ano, pois o Atlético conseguiu se manter na Série A, quando muitos não acreditavam, o Cruzeiro foi para a Libertadores e não ganhou o Brasileirão por pouco, e o América fez uma grande temporada, retornando para a Primeira Divisão, de onde nunca deveria ter saído. Quem gosta do futebol de Minas Gerais está feliz", analisou o atacante Euller, do América-MG.

O Paraná também pôde comemorar o título do Coritiba na Série B do Campeonato Brasileiro e o retorno do clube para a elite do futebol nacional exatamente um ano depois da queda.

Goiás tropeça e Nordeste fica estável
Saindo do eixo Sul-Sudeste, a situação fica mais estável ainda. O Nordeste, por exemplo, perdeu uma vaga na Série A com o Vitória, mas viu o Bahia subir para a elite brasileira, o que não gerou mudanças no quadro da Boa Terra, salvo a tristeza de mais uma vez não se ter um Ba-Vi válido por uma competição nacional. Pernambuco também não conseguiu o tão sonhado retorno para a Primeira Divisão, já que Sport e Náutico fracassaram na tentativa. O estado, porém, pôde vibrar com a histórica classificação do modesto Salgueiro para a Série B.

Outro exemplo de equilíbrio do futebol do Nordeste esse ano é o Rio Grande do Norte. O estado chorou com o rebaixamento do América para a Série C do Brasileirão, mas viu o ABC subir para a Segundona e fazer a festa com a conquista do título da Série C, o primeiro de âmbito nacional do estado. O futebol alagoano também se manteve estável com a permanência do ASA na Série B do Nacional.

Um estado nordestino que pôde comemorar foi o Ceará. Isso porque o Ceará se manteve na Série A e ainda conseguiu uma vaga na Copa Sul-Americana. Ao mesmo tempo, o Guarany conquistou o título da Série D e o Icasa se manteve na Série B.

"O Ceará se planejou para não ser rebaixado e fez uma grande campanha. O clube vem se estruturando com um trabalho muito sério. A conquista de uma vaga na próxima Copa Sul-Americana veio apenas para coroar esse grande trabalho que está sendo desempenhado", analisou Paulo César Gusmão, técnico do Vasco e que, no início do Brasileirão, comandava o Ceará.

Já no Centro Oeste, o Goiás chora pelo rebaixamento para a Série B depois de 11 anos na elite nacional. E o ano poderia ter sido considerado positivo, caso o time não perdesse o título da Copa Sul-Americana na decisão contra o Independiente. Como consolo para o estado, fica a permanência do Atlético na Série A.

Veja a situação dos estados na gangorra do futebol brasileiro:

SÃO PAULO: Se o estado conseguiu manter o título da Copa do Brasil, com o Santos sendo campeão, viu cair de seis para quatro o número de representantes na elite do futebol nacional. Isso porque Guarani e Grêmio Prudente foram rebaixados, sem que nenhum paulista subisse. Aliás, em nenhuma das três divisões inferiores (Séries B, C e D) o futebol de São Paulo conseguiu acesso. O número de representantes na Copa Libertadores se manteve em dois, desta vez com Santos e Corinthians

RIO DE JANEIRO: Manteve o título da Série A do Brasileiro com a conquista do Fluminense, que vai representar o estado na Copa Libertadores de 2011. Na Série B, mais uma vez o Duque de Caxias conseguiu se manter. Além disso, com o acesso do Madureira, o time ganhou mais um representante da Série C.

MINAS GERAIS: O estado conseguiu manter a vaga do Cruzeiro na Copa Libertadores, alcançando o vice-campeonato nacional. Além disso, como o Atlético evitou o rebaixamento e o América foi promovido para a Série A, Minas Gerais passa a ter três times na elite do Brasileirão. A queda do Ipatinga para a Série C foi compensada pelo acesso do Ituiutaba para a Segundona.

RIO GRANDE DO SUL: O Rio Grande do Sul ganhou a América com a conquista do Internacional na Copa Libertadores. Por falar nisso, o estado vai se fazer representar em 2011 no principal torneio de clubes do continente justamente pelas suas duas bandeiras: gremistas e colorados. Mas como nem tudo é alegria, o Juventude conheceu o fundo do poço ao ser rebaixado para a Série D.

PARANÁ: Com o acesso do Coritiba, o Paraná volta a ter dois representantes na Série A. Além disso, o estado conquistou o título da Série B com o Coxa.

SANTA CATARINA: Um grande ano para o futebol catarinense. O Figueirense subiu para a elite do futebol nacional, o Avaí conseguiu a sua permanência na Série A e o Criciúma retornou para a Série B. O Joinville também brilhou com a vaga na Série C

GOIÁS: Um ano delicado para o futebol goiano com o rebaixamento do Goiás, que após 11 anos voltará a jogar a Série B. A comemorar somente a permanência do Atlético na Primeira Divisão e a grande campanha do Goiás na Copa Sul-Americana. O time verde ficou com o vice-campeonato

BRASÍLIA: Com certeza Brasília vai querer esquecer o ano de 2010. O Brasiliense foi rebaixado para a Série C, enquanto o Gama caiu para a Série D

TOCANTINS: O estado ganhou um pontinho com o retorno do Araguaína para a Série C

BAHIA: Festa pelo acesso do Bahia para a elite nacional. A lamentar que o Tricolor encontrou no "elevador" com o Vitória, que caiu para a Série B

PERNAMBUCO: Se as torcidas de Sport e Náutico não conseguiram comemorar o acesso para a Série A, coube ao modesto Salgueiro vibrar com a histórica vaga na Série B

CEARÁ: Um ano positivo, pois o Ceará conseguiu se manter na Série A e ainda beliscou uma histórica vaga na Copa Sul-Americana. Além disso, o estado comemorou com o Guarany o título da Série D. O Icasa permaneceu na Série B

RIO GRANDE DO NORTE: Comemorou o título da Série C com o ABC, que subiu para a Segundona. Mas o saldo foi negativo, pois o América ganhou para a Série C e o Alecrim foi rebaixado para a Série D

PARÁ: Perdeu um pontinho com o rebaixamento do São Raimundo para a Série D

AMAZONAS: Conseguiu sucesso dentro de campo com o acesso do América para a Série C. Mas como o clube foi punido pelo STJD, a vaga ficou com o Joinville-SC

MATO GROSSO DO SUL, MATO GROSSO, PARAÍBA, ALAGOAS, SERGIPE, MARANHÃO, PIAUÍ, ESPÍRITO SANTO, ACRE, RONDÔNIA, RORAIMA e AMAPÁ: Situação inalterada em relação a 2009


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias