iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

06/01 - 08:14

Copa Africana reúne destaques de grandes clubes da Europa
Drogba (Chelsea), Eto'o (Inter de Milão), Adebayor (Manchester City) e Kanouté (Sevilla) estarão em campo por suas seleções no torneio continental

Bruno Pessa, iG São Paulo


Acostumados a disputar os campeonatos mais prestigiados da Europa, vários jogadores de destaque no cenário futebolístico estarão reunidos no continente africano neste mês de janeiro. Entre os dias 10 a 31, em Angola, acontece a Copa Africana de Nações (CAN), uma grande oportunidade de ver em campo nomes como Didier Drogba e Samuel Eto'o. Além da motivação pela disputa do título mais importante do continente, o torneio é uma importante etapa de preparação para a Copa do Mundo, em junho, na África do Sul.


Conheça um pouco mais as 16 seleções participantes da Copa Africana de Nações
:

GRUPO A

O apoio da torcida é o grande trunfo dos Palancas Negras, que foram à Copa de 2006, mas estarão de fora do Mundial em 2010. O técnico português Manuel José apostou em revelações locais, convocando 12 estreantes entre os 23 relacionados. O grande destaque da seleção, ainda sem títulos da CAN, é o atacante Manucho, do Valladolid. Quem pode surpreender é o jovem atacante Djalma, do Marítimo.  


País de boa chegada no torneio, indo às semifinais em quatro das cinco participações até aqui, busca obter conquista inédita para uma geração que já atingiu a faixa dos 30 anos. São os casos do atacante Kanouté, parceiro de Luís Fabiano no Sevilla, do volante Keita, do supercampeão Barcelona, e do zagueiro Traoré, do Paris Saint-Germain. Merecem atenção também os volantes Diarra, do Real Madrid, e Sissoko, da Juventus.


Rival da Inglaterra na Copa da África do Sul, vive ainda a euforia da suada classificação nas Eliminatórias após batalhas contra o Egito. Justamente por essa "maratona emocional", o treinador Rabah Saadane tirou a responsabilidade das costas dos jogadores em caso de fracasso na CAN, torneio que os argelinos não disputavam desde 2004 - foram campeões em 1990. O destaque vai para o meia-atacante Ziani, do Wolfsburg.


Destoa dos adversários por não contar com estrelas e jogadores de muita experiência internacional. Zebra da chave, aposta na força do conjunto, que será testado longe de casa depois de ótimos resultados em seus domínios durante as últimas Eliminatórias Africanas para a Copa - vitória sobre Egito e empate contra Costa do Marfim, por exemplo.



GRUPO B

A Costa do Marfim, de Drogba, é uma das favoritas ao título da CAN. Em busca do bicampeonato, a seleção que enfrentará o Brasil no Mundial não é reconhecida apenas pelo oportunismo do atacante do Chelsea. Destacam-se ainda o atacante Kalou, também do Chelsea, o volante Yaya Touré, do Barcelona, o lateral Eboué, do Arsenal, e o atacante Gervinho, atualmente artilheiro do Campeonato Francês pelo Lille.


Ao lado dos marfinenses, é a outra grande força da chave. Com excelente histórico nas categorias de base, a tetracampeã da CAN deposita suas fichas no volante Essien, do Chelsea. Vale ficar de olho também nos atacantes Gyan, do Rennes, e Asamoah, da Udinese. Do elenco que foi campeão mundial sub-20 no ano passado, em cima do Brasil, o maior nome é o do atacante Ayew, filho do lendário ex-jogador Abedi Pelé.


Superar a fase de grupos seria um feito inédito para os togoleses, presentes à última Copa do Mundo, na Alemanha. A tarefa não é fácil, já que Costa de Marfim e Gana são favoritos. O nome mais conhecido do elenco é mesmo o do atacante Emmanuel Adebayor, hoje no Manchester City. A promessa é o meia-atacante Serge Gakpé, do Monaco, que nasceu na França e se naturalizou em 2009.


Quarta colocada na CAN de 1998, foi a grande sensação de boa parte das Eliminatórias para a Copa, mas caiu na chave da forte Costa do Marfim na fase final. O destino colocou Burkina Faso novamente no grupo dos marfinenses, mas o técnico português Paulo Duarte pode contar com o atacante "Momo" Dagano, artilheiro das Eliminatórias, e seu parceiro Koné, que atua no futebol romeno.



GRUPO C

Maiores vencedores da história da CAN, os egípcios buscam compensar a decepção pela ausência na Copa do Mundo com a conquista do heptacampeonato e do tri consecutivo. As dúvidas são as presenças do bicampeão Abou-Treika e do atacante Mido, ambos contundidos. Zidan, do Borussia Dortmund, e Shawky, do Middlesbrough, são as maiores esperanças ofensivas.


Novamente adversária da Argentina em um Mundial, a seleção busca um título que não ganha desde 1994, quando mostrou um bonito futebol na Copa dos EUA. Voltando de lesão, o atacante Martins, do Wolfbsurg, faz parte do grupo, assim como o lateral-esquerdo Taiwo, do Olympique de Marselha, o meio-campista Obi Mikel, do Chelsea, e o veteraníssimo atacante Kanu, que eliminou o Brasil nas Olimpíadas de 1996 e hoje defende o Portsmouth.


Classificou-se para a CAN como terceira colocada em um grupo que tinha Nigéria, Tunísia e Quênia. Alcançar as quartas-de-final seria uma grande façanha para uma seleção que nunca passou da fase de grupos no torneio após três participações. O maior nome do atual elenco e da história moçambicana no futebol é o do veterano atacante Manuel "Tico-Tico" Bucuane, de 36 anos, que joga na África do Sul.


Outro azarão que jamais foi além da fase de grupos. Disputa neste ano sua terceira CAN, depois de participações em 2004 e 2008. Tem forte ligação com a França, da onde vêm o técnico Michel Dussuyer e nomes de destaques como os meias Sessègnon, do Paris Saint-Germain, e Ogunbiyi, do Guingamp, além do atacante Omotoyossi, jogador do Metz e maior artilheiro da história da seleção.



GRUPO D

De olho no pentacampeonato, os Leões, comandados por Eto'o, também estão bem cotados para levar a taça. Experiência não falta à defesa, formada por Song, de 33 anos - que vai para sua oitava CAN -, e Geremi, 31, ambos atualmente na Turquia. Os volantes Makoun (Lyon) e Mbia (Olympique de Marselha), além do atacante Efoulou (Nancy), disputam a primeira divisão do futebol francês.   


Presentes aos Mundiais de 1998, 2002 e 2006, mas ausentes em 2010, os tunisianos lutam pela volta por cima e o bicampeonato da CAN, após a conquista em casa em 2004. A maioria dos jogadores atua em equipes locais, exceções feitas ao zagueiro e capitão Haggui, do Hannover, ao lateral-esquerdo Mikari, do Sochaux, e aos atacantes Jemaa, do Lens, Ben Saada, do Nice, e Nouioui, do La Coruña.


Embora nunca tenha disputado uma Copa do Mundo, esta seleção já foi duas vezes finalista da CAN, em 1974 e em 1994. Destacam-se no elenco, treinado pelo francês Hervé Renard, os meias Chansa, do Helsingborgs (Suécia), e Felix Katongo, do Rennes (França), assim como os atacantes Mulenga, do Utrecht (Holanda), e Chris Katongo, do Arminia Bielefeld (Alemanha).


Em três participações na CAN, o que de melhor conseguiu foi atingir as quartas-de-final em 1996. O futebol francês abriga boa parte dos selecionáveis, comandados por Alain Giresse, destaque da França de boas campanhas nos anos 1980. O ataque combina a experiência de Cousin (32 anos), do inglês Hull City, com a juventude de Aubameyang (20 anos), do francês Lille.


Leia mais sobre: Copa Africana de Nações Didier Drogba Samuel Eto'o

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AP

Didier Drogba

Didier Drogba
Atacante do Chelsea é uma das estrelas da Copa Africana e estará em campo pela Costa do Marfim

Topo
Contador de notícias