iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

22/10 - 08:52

Brasileirão 2009 esquece revelações e consagra "imortais"
Outrora “acabados” para muita gente, jogadores como Ronaldo, Marcos, Petkovic, Gilberto e Ricardinho têm sido destaques de seus times no Campeonato Brasileiro; qual o melhor deles? Vote na enquete no final da matéria

Por Mário André Monteiro, do iG Esporte

SÃO PAULO – Revelar jovens talentos sempre foi uma das qualidades do Campeonato Brasileiro. Este ano, contudo, a história tem sido diferente: se o atacante Fernandinho, do Barueri, pode ser apontado como uma das raras ‘descobertas’ do torneio, não faltam nomes de jogadores consagrados que, paradoxalmente, podem ser apontados como surpresas da temporada.

O Brasileirão de 2009 tem sido insuperável em recuperar grandes jogadores que, por questões físicas, técnicas ou simplesmente de idade, eram dados como acabados por muita gente. E não tratamos aqui de jogadores como o flamenguista Adriano, que, pela pouca idade que tem, ainda teriam tempo para se recuperar dos maus momentos pelos quais passaram.

Gilberto, Marcelinho Paraíba, Marcos, Paulo Baier, Petkovic, Ramon, Ricardinho e Ronaldo estão todos com mais de 32 anos. Mas, apesar disso, têm sido algumas das principais surpresas deste Campeonato Brasileiro. Confira abaixo o retrospecto destes eternos talentos e, ao final da página, diga quem tem sido o melhor deles no Brasileirão 2009.

Gilberto trocou o ostracismo na Inglaterra para brilhar no Cruzeiro


Gilberto, Cruzeiro, 33 anos (veja ficha completa)
Depois de ótimas temporadas pelo Hertha Berlim, da Alemanha, foi para o futebol inglês jogar no Tottenham (onde chegou a ser vetado em um primeiro exame médico) e afundou. Na terra da rainha, fez apenas dez jogos, ficando encostado o restante da temporada 2008-09. Só veio se recuperar no Cruzeiro, jogando como meia, onde hoje é o cérebro da equipe. Em sua apresentação à Raposa, comentou o período ruim na Inglaterra: “Tive um ano muito complicado no Tottenham, jogando pouco. Agradeço ao presidente [do Cruzeiro, Zezé Perrela] por acreditar que posso retomar a minha carreira aqui novamente”. O presidente, pelo jeito, acertou.


Marcelinho Paraíba, Coritiba, 34 anos
(veja ficha completa)
Após ótimas anos pelo Hertha Berlim, teve passagens apagadas por Trabzonspor-TUR e Wolfsburg-ALE. Seu clube seguinte foi o Flamengo, de onde saiu criticado, para o Coritiba. Mesmo no Paraná, chegou a ser vaiado. Aos poucos, porém, transformou-se no astro da equipe: já marcou 12 gols no Brasileiro e já teria até assinado um pré-contrato com o São Paulo para 2010. Ney Franco, técnico do Coxa, analisou a importância do jogador para seu time: “Ele vem sendo determinante a nosso favor, mantendo uma média de boas atuações. Se entrega o tempo todo e é muito legal ver a torcida o apoiando novamente”.


Marcos, Palmeiras, 36 anos (veja ficha completa)
Depois de inúmeras lesões, voltou a ser titular do Palmeiras com Vanderlei Luxemburgo, quando muitos queriam a manutenção de Diego Cavalieri no time. Desde então, vem fazendo longas seqüências de jogos, coisa rara no seu histórico. No Brasileirão, disputou 29 dos 32 jogos da equipe e vem bem a ponto de cogitar voltar à seleção brasileira. Quando fez 36 anos de idade, em agosto, comemorou a boa temporada livre das lesões. "É uma felicidade que não tem tamanho. Há dois anos, eu não esperava por isso, por causa das lesões. Não tenho palavras para agradecer, em especial à diretoria. Eles confiaram em mim não pelo meu tempo de clube, mas porque sabem que eu ainda tenho o que acrescentar".


Paulo Baier, Atlético-PR, 34 anos (veja ficha completa)
Após fracassar no Palmeiras, voltou para o Goiás e, depois, foi para o Sport. Fez boas atuações no clube pernambucano, mas acabou como um dos principais responsabilizados quando o Sport começou a cair de rendimento depois da eliminação na Libertadores deste ano. De Recife, saiu para o Furacão, onde virou o dono do time. É o artilheiro da era dos pontos corridos do Brasileirão e continua subindo sua marca — já tem 76 gols. “Ele é o capitão da minha equipe. Nos times que dirijo, coloco o capitão para orientar os outros jogadores sobre a parte tática dentro de campo. É um jogador inteligente, que lê bem o jogo e tem autorização para cobrar os outros”, disse o técnico do Furacão, Antonio Lopes, sobre o meia.


Petkovic, Flamengo, 37 anos (veja ficha completa)
A volta do sérvio ao rubro-negro, a princípio, era por motivos financeiros. O Fla tinha uma dívida trabalhista com o meia e fez um acordo, contratando-o. O retorno foi até motivo de piada. Há quem diga que Cuca teria deixado o clube também por não concordar com a escolha da diretoria. Hoje, jogando muito, é a estrela do time ao lado do Adriano. Superada a desconfiança, Pet fez declarações em tom aliviado: “Minha volta foi complicada, não foi fácil. Quando eu cheguei, falei que meu objetivo era ajudar o Flamengo. Não tenho mais nada para mostrar. Meu único risco era o de um ídolo ser vaiado”. O risco, como se sabe, não existe mais.

Petkovic retornou ao Fla sob olhares de desconfiança, mas provou que está muito bem


Ramon, Vitória, 37 anos (veja ficha completa)
Começou o campeonato como titular de Paulo César Carpegiani, mas logo foi para a reserva e ficou insatisfeito. Chegou a acertar bases salariais com o Náutico e era pretendido pelo rival Bahia. Sua saída era iminente, até a demissão de Carpegiani. O técnico Vagner Mancini, com quem também já se desentendeu no passado, voltou ao clube. Mas Ramon superou as desavenças, reconquistou a vaga no time e não saiu mais. O antigo desafeto sintetiza a importância e o momento pelo qual passa o meia: "Ele arma as jogadas e desequilibra no sentido técnico", avaliou Vagner Mancini, após o empate com o Flamengo.


Ricardinho, Atlético-MG, 33 anos (veja ficha completa)
Saiu por baixo do Brasil, estava em um país com pouca importância futebolística como o Catar — antes, teve um bom momento com a camisa do Besiktas, da Turquia —, mas voltou com  status de estrela. Entrou bem em alguns jogos e, em sua primeira partida como titular no Galo, contra o São Paulo, destacou-se. Já é o queridinho da torcida do vice-líder do Brasileiro. “A expectativa é a melhor possível para alcançar os resultados que tanto eu como o clube almejamos. O objetivo é obter conquistas. Chego com o pensamento de colocar o Atlético não apenas disputando títulos, mas conquistando”, afirmou o meia no dia de sua apresentação.


Ronaldo, Corinthians, 33 anos (veja ficha completa)
Apesar de não ter participado de muitos jogos no Brasileirão – apenas 13 até aqui – e ter seu rendimento colocado sob suspeita pelo excesso de peso, sempre que esteve em campo o Fenômeno foi decisivo. Com ele, o time é um, mais forte e competitivo; sem ele, tem sido uma equipe comum. Tanto que seus gols e as boas atuações o credenciam até a vencer a Bola de Ouro da Revista Placar. Mano Menezes, em entrevista recente, admitiu que o Corinthians é dependente de seu atacante: “A seleção sentiu falta do Ronaldo, o Real Madrid, o Barcelona, o Milan. O Corinthians também sente, é obvio”.

 

Qual dos "imortais" é o melhor do Brasileirão?

Gilberto (Cruzeiro)

Marcelinho Paraíba (Coritiba)

Marcos (Palmeiras)

Paulo Baier (Atlético-PR)

Petkovic (Flamengo)

Ramon (Vitória)

Ricardinho (Atlético-MG)

Ronaldo (Corinthians)



A consulta é realizada somente entre internautas e não tem valor de amostragem científica


Leia mais sobre: Ronaldo Ramon Petkovic Marcos Paulo Baier Gilberto Ricardinho Marcelinho Paraíba

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Milton Trajano

Imortais do Brasileirão

"Imortais" do Brasileirão
Craques de 2009 ainda têm muita lenha para queimar. Veja mais charges de Milton Trajano

Topo
Contador de notícias