Tamanho do texto

Jogador uruguaio Héctor Castro não tinha uma mão, mas isso não o impediu de cravar seu nome na história das Olimpíadas, da Copa e do futebol sul-americano

Entre muitos outros feitos, ele foi um dos maiores atacantes de seu tempo... e tudo isso superando uma deficiência física: Hector Castro não tinha uma mão. Ele perdeu o antebraço direito em um acidente com uma motosserra quando criança. E foi um dos maiores nomes da Copa de 30.

Mas ser deficiente físico não o impediu de ser um grande jogador de futebol, ídolo do Nacional de Montevidéu e do Estudiantes de La Plata. Com o apelido de "el manco" - e depois de "el divino manco" - ele provou que sua limitação não o impediria de ser artilheiro. Depois de títulos com o Uruguai, quando se aposentou fez história também como treinador no Campeonato Uruguaio, aplicando goleadas no Peñarol. 

Confira essa incrível história no vídeo de hoje.

Conheça o Última Divisão:

Youtube 
Facebook 
Twitter 
Instagram