Tamanho do texto

Time tradicional do Recife já foi um dos grandes do futebol pernambucano, mas hoje é uma sombra daqueles tempos de glória

O América-PE, também chamado carinhosamente de Mequinha, já foi um dos maiores clubes do Recife, rivalizando com Sport, Náutico e Santa Cruz. Porém, atualmente o clube alviverde  convive com crises atrás de crises. 

Em seus tempos gloriosos, o Mequinha chegou a dominar o Campeonato Pernambucano, conquistando diversos títulos em sequência. Um dos que ficaram mais marcados foi o título de 1922, no ano do centenário da Independência do Brasil. Por conta desse feito, passou a ser conhecido como o Campeão do Centenário. 

No ano seguinte, em 1923, acabou levantando a taça do Troféu Nordeste, um dos primeiros torneios de clubes regional. Na final, bateu o CSA-AL nos pênaltis.

Entre alguns nomes que passaram pelo América ao longo de sua história, destaca-se Vavá. O Peito de Aço, campeão do mundo em 1958 e 1962, começou a carreira no América antes de se transferir para o Sport. Mais recentemente, um jogador que defendeu as cores do alviverde foi Carlinhos Bala. Após passar pelos principais clubes do Recife, Bala ajudou o time a se classificar pela primeira vez para a Série D, em 2016.

Por fim, um outro nome conhecido que defendeu o clube foi João Cabral de Melo Neto. Durante a adolescência, o poeta disputou campeonato juvenis como volante. Porém, por conta da dor de cabeça crônica, decidiu não seguir a carreira esportiva e foi se dedicar à escrita.

Mais recentemente, o América-PE chamou atenção ao contratar Larissa Riquelme para apresentar os novos uniformes da temporada. Isso aconteceu em 2012, e na época a modelo paraguaia chegou a fazer uma aposta ousada: se o Mequinha não fosse rebaixado no estadual, ela posaria nua. Infelizmente o time não correspondeu em campo e Larissa Riquelme não pode cumprir a promessa.

Quer conhecer outras histórias do clube? Então, confira no vídeo.

Conheça o Última Divisão :
Youtube
Facebook
Twitter
Instagram