Não tem para ninguém. Essa pista de Portimão é a cara da Mercedes, que fez dobradinha ano passado e venceu com Lewis Hamilton hoje. Mesmo largando em segundo, Hamilton ganhou o GP de Portugal até com certa tranquilidade, a partir do momento que conseguiu assumir a liderança.

O pole Valtteri Bottas perdeu a vitória para o companheiro de equipe e o segundo lugar para Max Verstappen, da Red Bull. Se serve de consolo, o finlandês ficou com o ponto extra da volta mais rápida. Para o holandês, o segundo lugar pode até ser comemorado, apesar de a vantagem para Hamilton ter aumentado para oito pontos no Mundial de pilotos: 69 a 61.

Valtteri Bottas fez o que tinha que fazer na largada, não dando chance ao ataque do companheiro Lewis Hamilton. Mas logo veio o safety car, porque o Kimi Raikkonen resolveu fazer uma barbeiragem para cima do próprio companheiro de equipe na Alfa Romeo, Antonio Giovinazzi. O finlandês tocou na traseira do italiano, perdeu o bico, emporcalhou a pista e abandonou a prova. Cinco longas voltas para limpar tudo, o que acabou esfriando a corrida.

Quando relargou, no entanto, a prova reaqueceu imediatamente com uma boa e uma má notícia para a Red Bull. Max Verstappen pressionou e mandou uma grande manobra por fora sobre Hamilton para assumir a segunda posição. Já Lando Norris botou por dentro e ultrapassou Sergio Perez para tomar a quarta colocação. O mexicano, no entanto, daria o troco poucas voltas depois.

Verstappen partiu para cima do Bottas, mas não o ultrapassou e acabou dando uma derrapada no fim da décima volta. Hamilton se aproveitou e deu o troco, reassumindo o segundo lugar numa bela disputa.

O heptacampeão começou a fazer volta mais rápida em cima de volta mais rápida, avisando ao Bottas que ia partir para cima, sempre mantendo a diferença em menos de um segundo e abrindo a asa sempre que possível. No início da 20ª volta, Hamilton botou por fora e assumiu a ponta.

Você viu?

O papel de Bottas na corrida passou de líder a guardião de Hamilton, segurando Verstappen o quanto fosse possível para o inglês abrir vantagem na ponta. O holandês não conseguiu ultrapassar o finlandês e parou na 36ª volta para trocar pneus. Bottas parou na volta seguinte e voltou à pista à frente de Verstappen, mas com pneus mais frios e não resistiu ao ataque: Verstappen assumiu o segundo lugar.

Hamilton parou na 38ª volta e retornou à pista mantendo cerca de três segundos de vantagem para Verstappen. Depois, quando entrou numas de fazer de novo volta mais rápida em sequência, chegou a colocar sete segundos sobre Verstappen. Da volta 38 a 51, o líder da corrida foi Sergio Perez, porque ele retardou o quanto pôde a parada no box, até ser ultrapassado por Hamilton. Após trocar os pneus, voltou em quarto, sua posição real.

Com a vitória de Hamilton assegurada, a disputa no fim da corrida foi pela melhor volta. Bottas e Verstappen botaram pneus macios para tirar o ponto extra de Perez. Bottas roubou de Perez e Verstappen roubou de Bottas, mas extrapolando o limite de pista. A volta do holandês foi cancelada e o ponto extra ficou mesmo para o finlandês.

Splash and Go (ou rapidinhas):

- Depois de um sábado para esquecer, Fernando Alonso fez uma corridaça, largando em 13º e chegando em oitavo, somando três pontos. Daniel Ricciardo também foi bem, largando em 16º e chegando à zona de pontuação, em nono. Já Sebastian Vettel, que criou boas expectativas, conseguindo finalmente chegar ao Q3 no sábado, largando em 10º, terminou apenas em 14º. Segue a via crucis do tetracampeão.

- Quem não pode estar na Fórmula 1 é o russo Nikita Mazepin. Ele largou em último e em último terminou entre os que completaram, a 64s434 do penúltimo colocado, Nicholas Latifi. Para coroar, ainda foi punido com cinco segundos por fechar a porta para Sergio Perez, quando tomaria uma volta do então líder da prova. MazeSpin disputa outra categoria dentro da Fórmula 1.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários