Lewis Hamilton
Divulgação
Lewis Hamilton

Seus viciados de uma figa nesse aroma maravilhoso de borracha e gasolina queimadas, me respondam se forem capazes: que disputa pela pole position foi essa, meus caros?! Antes de falar do treino em si, peço que leiam a coluna até o fim, porque, lá embaixo, na sessão Splash and Go (ou rapidinhas), falo de uma novidade pro fim de semana que vem: Max Wilson, que está no ar nas transmissões do GP da Emilia-Romagna, pode trocar o uniforme de comentarista pelo macacão de piloto e pintar na estreia da temporada da Stock Car.

Vamos ao treino classificatório! Max Verstappen era apontado como favorito, mas o problema do holandês voador é que a disputa é contra Lewis Hamilton. Ninguém tem o currículo do britânico à toa. Ninguém chega a 99 poles por acaso.

Vamos começar do começo. No Q1, ninguém sequer tinha marcado tempo ainda, quando o elogiado estreante boca-suja japonês, Yuki Tsunoda, cometeu o primeiro grande erro na Fórmula 1. Ele perdeu o carro, bateu de traseira ainda no início da classificação e tome piiiiii no rádio com a equipe Alpha Tauri. Vai largar em último. No mais, nenhuma grande surpresa: Mercedes na frente, com Valtteri Bottas e Lewis Hamilton, nesta ordem; Max Verstappen, em quarto, sem acelerar tudo, só pra se garantir no Q2; e as equipes Haas e Alfa Romeo, as mais fracas do momento, eliminadas.

No Q2, Carlos Sainz, da Ferrari, foi apenas o 11º, não passou pro Q3 e lamentou muito quando foi avisado pelo rádio. Os campeões mundiais Fernando Alonso, que, caso você ainda não saiba, está de volta à Fórmula 1 na Alpine (ex-Renault), e Sebastian Vettel, que segue na má fase depois de trocar a Ferrari pela Aston Martin, se juntaram a Sainz na eliminação precoce. Os três ficaram nos boxes assistindo pela TV a seus companheiros Charles Leclerc, Esteban Ocon e Lance Stroll, respectivamente, entrarem entre os 10 na parte final do treino.

No decisivo Q3, Hamilton fez a melhor volta na primeira tentativa, com Verstappen só 0s091 atrás. Menos de um décimo! Um espetáculo essa disputa entre os dois. Mal dava pra esperar pela segunda e última tentativa de volta lançada deles. Tudo indefinido e lá foram pra pista pros minutos finais. Sabem o que aconteceu? Nada! Acreditem, nenhum dos dois melhorou o tempo.

O que Hamilton tinha foi suficiente pra ele chegar à 99ª pole position na carreira. Que marca! Quem poderia imaginar que, um dia, teríamos um piloto com 100 pole positions na Fórmula 1. Somos realmente privilegiados. Verstappen não só não melhorou como ainda perdeu o segundo lugar no grid pro companheiro Sergio Perez, que vai largar na primeira fila pela primeira vez na carreira. Hamilton comemorou pelo rádio com o engenheiro com certa incredulidade. Até ele apostaria no rival, se pudesse. O outro piloto da Mercedes, Bottas, ficou apenas em oitavo.

Você viu?

Alguém duvida de uma corridaça amanhã? Não dá pra perder o GP da Emilia-Romagna, às 10h, na tela da Band!

Splash and Go (ou rapidinhas)

- Foi a curva 4 no Bahrein, está sendo a curva 9 em Ímola. Chato demais esse negócio de volta cancelada. É o VAR da Fórmula 1! É o anticlímax, assim como bandeirada com safety car na pista. Lando Norris, da McLaren, foi o caso mais emblemático do classificatório. Ele vinha muito bem, mas teve a volta que lhe daria o segundo lugar deletada.

O fã fica diante da TV ou do app acompanhando e comparando as parciais atentamente, vendo que o piloto vai fazer um temporal, aí ele pula lá pra cima da classificação para, instantes depois, ter o tempo anulado pelos comissários e cair lá pra rabeira. Vejam bem, não estou dizendo que as regras não tenham que ser respeitadas, mas, a partir do momento que temos dezenas de voltas canceladas num fim de semana, os limites de pista precisam ser revistos pelo bem do esporte.

- Max Wilson estreou ontem nas transmissões de Fórmula 1 no Grupo Band, seguiu no ar nos treinos deste sábado e fará a corrida amanhã. A felicidade dele é nítida até no tom de voz. Enviei uma mensagem ontem à noite, parabenizando-o pela estreia. Infelizmente, não pude escalar o Max em nenhuma transmissão no Sportv no ano passado, quando eu era o gerente de Motor do Grupo Globo, porque a empresa reduziu acertadamente a praticamente zero a participação dos comentaristas colaboradores, caso de Max, durante a pandemia. Ele estava seco para comentar e vem mostrando seu conhecimento durante este fim de semana. A ideia da Band é Max fazer um rodízio com Felipe Giaffone, que comentou o GP do Bahrein.

E a felicidade dele pode aumentar ainda mais no próximo fim de semana. Max me confirmou que recebeu o convite para disputar a abertura da temporada da Stock Car pela equipe Full Time. Isso porque o argentino Matías Rossi, titular do time, não virá ao Brasil, por causa da suspensão dos voos da Argentina de/para o Brasil em virtude da pandemia. Max me disse que a participação ainda não está 100% fechada, mas só depende dele agora dizer sim pra Full Time. Aos 48 anos, o campeão da Stock em 2010 não guia um carro desde dezembro de 2019, na última corrida da categoria naquele ano. Uma vez piloto, sempre piloto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários