Tamanho do texto

Alemão foi acusado por agredir um dos sócios da Lotus e também terá de pagar uma multa 200 mil euros

Depois de dois dias de julgamento em Munique, na Alemanha, o veredicto de Adrian Sutil foi divulgado pela justiça local nesta terça-feira (31). O piloto foi condenado a um ano e seis meses de prisão em liberdade condicional.

Leia também: Rubens Barrichello faz seu primeiro teste com carro da Indy

O alemão foi acusado de lesão corporal grave, por ter agredido Eric Lux, chefe do grupo Genii e sócio da escuderia Lotus, com uma taça de champanhe. O ocorrido aconteceu em uma boate em Xangai, na China, no dia 17 de abril do ano passado. Segundo Sutil, a agressão a Lux foi uma mera "cutucada", como classificou o piloto, mas as justificativas não foram aceitas.

A corte de Munique, por meio da juíza responsável pelo caso, Christiane Thiemann, considerou o piloto culpado e além do regime de liberdade condicional, Sutil terá que pagar uma indenização de € 200 mil.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Na sessão da segunda-feira, Sutil se desculpou pelo ocorrido e afirmou que não esperava que tivesse tantas consequências. "Eu lamento demais, sinto muito. Eu jamais quis que isso acontecesse", declarou Sutil, antes de ser informado sobre a sua condenação.

Adrian Sutil era um dos pilotos candidatos a vaga na equipe Williams, antes do posto ser assumido pelo brasileiro Bruno Senna. O alemão defendeu a escuderia Force India na temporada passada da Fórmula 1 e não conseguiu vaga para continuar na maior categoria do automobilismo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.