Tamanho do texto

Russo perdeu posto na Lotus Renault e está sem espaço no grid da F1 para temporada 2012

O russo Vitaly Petrov ainda tem esperança de estar no grid de largada na Austrália, primeiro GP do ano. O ex-piloto da Renault, que deixou a equipe no fim do ano passado para a entrada de Kimi Raikkonen e Romain Grosjean , tem sido associado com uma vaga na Caterham, mas também pode trabalhar com a Pirelli, fornecedora de pneus da categoria, se não conseguir um lugar em alguma equipe.

Leia também:
Caterham divulga foto do carro de 2012 pelo Twitter

Nesta quarta-feira (25), em um evento da Pirelli em Abu Dhabi, Petrov disse que não poderia detalhar quais são as suas opções para a temporada, mas afirmou que as possibilidades serão resolvidas em breve.

"Se eu disser algo, será transformado em um monte de histórias", disse o piloto, que confirmou a presença de seu empresário na Europa para resolver as negociações do seu contrato. "Aguardem um pouco, mais uma semana. Eu quero dizer algo, mas não posso dizer no momento".

O russo acha vital ter algum papel na Fórmula 1  neste ano, já que, com uma temporada totalmente fora, seria muito difícil para ele encontrar uma maneira de voltar para a categoria. "Eu quero ficar na F1, porque se eu perder um ano, será muito difícil voltar e tomar alguns lugares em 2013. Por isso, é importante ficar".

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Quando perguntando pelo site Autosport se uma vaga de piloto de testes da Pirelli lhe interessaria, ele disse: "Hoje eles me pediram para vir e fazer parte do evento. Dirigi alguns carros, falei com algumas pessoas e trabalhei com elas".

No entanto, a meta do piloto é uma vaga de titular no grid. "Por enquanto não estarei com a Pirelli, mas talvez no futuro possamos armar alguns acordos", afirmou.

O russo segue esperançoso e confiante em fechar com a Caterham para participar do primeiro teste da pré-temporada, em Jerez de La Frontera, no dia 7 de fevereiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.