Nathalie Maillet
Divulgação
Nathalie Maillet

A diretora do autódromo belga Spa-Francorchamps, Nathalie Maillet, de 51 anos,  foi assassinada no último domingo pelo próprio marido, o ex-piloto Franz Dubois. Desdobramentos do caso apontam que o crime não ocorreu apenas porque o homem encontrou e esposa com outra. Uma amiga da vítima afirma que o casal já estava em processo de divórcio, e o novo affair de Nathalie não era mantido em segredo.

(Veja abaixo galeria de fotos de Nathalie Maillet)


Em entrevista à emissora belga "RTBF", Sandrine Detandt, se mostrou incomodada com o contexto dado à notícia. Para ela, a história não é sobre um marido traído por sua esposa que acabou matando ela e sua amante:

— Para mim, é importante esclarecer as coisas. Eles estavam separados, Nathalie Maillet havia contado a ele havia se apaixonado por Ann Lawrence. Eles estavam em processo de divórcio. Ele fingiu que isso não o incomodava, ele até conheceu Ann Lawrence ... Estamos muito longe do homem traído que chega em casa inesperadamente para encontrar sua esposa nos braços de outra pessoa! É uma forma de romantizar o caso. Estamos diante de um homem que matou duas mulheres porque se queriam — disse ela.

Professora de psicologia e sexualidades na Université Libre de Bruxelles, Detandt era amiga de Ann-Lauwrence Durviaux, também assassinada pelo ex-piloto.

— Como este homem se torna o herói traído que precisa limpar sua honra? Isso nos traz de volta aos séculos anteriores, quando era considerado normal para um homem possuir sua esposa — conclui.

Outras fontes confirmam que a atração de Nathalie Maillet por mulheres não era segredo, e que o marido não foi pego de surpresa pela revelação.

Você viu?

— A bissexualidade dela não era recente. Mesmo depois de seu casamento com Franz, Nathalie continuou a ver mulheres. Franz sabia — disse uma testemunha parente da vítima ao jornal "Het Laaste Nieuws".

Nathalie Maillet, diretora-gerente do circuito utilizado pela Fórmila 1, e Ann Lawrence Durviaux, advogada e professora da Universidade de Liège, foram encontrados mortas na madrugada de sábado para domingo. O caso é apontado como duplo feminicídio, e o marido Franz Dubois cometeu suicídio após atirar nas duas mulheres.

Antes de se matar, o homem ligou para a polícia para comunicar o crime:

— O senhor ligou para a polícia pouco antes da meia-noite. Ele ligou para relatar que acabara de matar as duas mulheres e que ia acabar com sua vida. Quando a polícia chegou ao local, três corpos sem vida foram encontrados — afirma Sarah Pollet, porta-voz do Ministério Público de Luxemburgo.

Ela explica que não haverá julgamento porque o autor se matou, mas a investigação busca levar a verdade às famílias das vítimas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários