Tamanho do texto

Com a venda da Fórmula 1 para o grupo Liberty Media, novos dirigentes foram colocados à postos na administração da elite automobilística

Bernie Ecclestone, ex-dirigente da Formula One Management
Divulgação
Bernie Ecclestone, ex-dirigente da Formula One Management

Depois de quase 40 anos no cargo supremo da F1, o britânico Bernie Ecclestone deixou a gerência da elite do automobilismo mundial. "Fui deposto. É oficial, não estou mais à frente da empresa", declarou.

De acordo com o ex-dirigente, sua emissão aconteceu por mandato do grupo norte-americano Liberty Media, que recentemente teve o aval da compra da F1 pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Mesmo fora do comando da Fórmula 1, Bernie Ecclestone ainda possui uma posição no Conselho Mundial da FIA. Mesmo assim, o ex-dirigente da elite automobilística acredita que não se manterá no cargo. "Duvido. Tenho que falar sobre isso apenas com Jean Todt", disse Ecclestone, se referindo ao presidente da federação.

"Minha nova posição é agora uma expressão americana. Uma espécie de presidente honorário. Assumo esse cargo sem saber o que isso significa", declarou Bernie.
O também britânico Ross Brawn será o sucessor de Ecclestone. Ex-dirigente da Ferrari, Honda, Mercedes e Benetton, Brawn dividirá o comando da categoria com o alemão Sean Bratches.

Formula One Group

Ross Brawn é o mais novo diretor esportivo da F1
Divulgação
Ross Brawn é o mais novo diretor esportivo da F1

O Liberty Media agora divide a cúpula da categoria em duas partes: uma esportiva, que ficará sob a responsabilidade de Brawn, e outra comercial, sob o comando de Bratches. "É fantástico voltar ao mundo da Fórmula 1", disse o novo dirigente esportivo. "Temos uma chance sem precedentes para tornar o esporte mais atrativo para equipes e promotores e, mais importante, para os fãs", complementou. Aos 62 anos, Ross Brawn deixou o comando da Mercedes em 2013.

Já o novo dirigente comercial, Sean Bratches estreia sua carreira no automobilismo. O alemão atuou por mais de 25 anos nos canais norte-americanos ESPN. Nos últimos tempos, era responsável pelo marketing e vendas da empresa.

Presidência

O mais novo presidente do Formula One Group, é o também presidente do Liberty Media, Chase Carey. "Estou contente em dar as boas vindas a Ross em seu retorno à Fórmula 1. Em seus 40 anos no esporte, ele deu um toque de mágica em todas as equipes com as quais trabalhou, tem um conhecimento técnico quase sem paralelos, além de ter experiência com boas relações", disse o supremo dirigente.

"Já Sean foi o pilar por trás da construção da ESPN, que se tornou uma das maiores franquias do esporte no mundo. Sua experiência em vendas, marketing, mídias sociais e distribuição serão de grande valor para fazermos a F1 crescer", destacou o CEO.