Com um gol em nove jogos, Raphael Veiga cai de rendimento no Palmeiras após lesão e pênaltis perdidos
Rafael Oliva
Com um gol em nove jogos, Raphael Veiga cai de rendimento no Palmeiras após lesão e pênaltis perdidos


Segundo maior artilheiro do Palmeiras na temporada, com 17 gols e atrás apenas de Rony, que fez 18, Raphael Veiga não vive seu melhor momento com a camisa do Verdão. No último domingo (24), na vitória do time sobre o Internacional , mais uma vez, ele teve desempenho abaixo e acabou substituído aos 23 minutos do segundo tempo.

> Veja os vencedores do 1° turno do Brasileirão e quais foram os times campeões

Quem concorda com a análise é o próprio Abel Ferreira. O técnico do time paulista atribuiu a queda de rendimento à lesão muscular sofrida pelo camisa 23 no dia 6 de julho, durante o empate do Palmeiras com o Atlético-MG por 0 a 0.

Na ocasião, Veiga deixou o gramado com dores ainda no começo do primeiro tempo e deu lugar a Rafael Navarro. Ele acabou ficando fora de combate por 20 dias e retornou no duelo com o Avaí, pelo Brasileirão.

- Lesão, jogos atrás de jogos... Está tudo interligado: técnica, tática, física. Teve a lesão, regressou, tem que jogar e muitas vezes sem estar recuperado, o que é sobrecarga. É rezar para que não volte a ter lesões. Os jogadores têm que entender que tem que ser protagonistas quando estão bem e quando passam por períodos de pouco rendimento - disse Abel Ferreira em entrevista coletiva, sobre o momento do meia.

Raphael Veiga

Abel Ferreira reconhece que Veiga está abaixo (Foto: Cesar Greco/SE Palmeiras)

De fato, desde o retorno, Raphael Veiga não é o mesmo. Foram nove jogos, com apenas um gol marcado e nenhuma assistência. Neste período, ele teve cerca de 24% de aproveitamento em finalizações: são somente quatro arremates em direção à meta de 17 tentativas no total, segundo dados da plataforma Footstats .

Para comparar, a reportagem separou nove jogos de um dos melhores momentos de Veiga nesta temporada — quando foi cogitada, inclusive, sua ida para a Seleção Brasileira : das finais do Paulistão, contra o São Paulo, em diante. Os adversários foram: São Paulo (2x), Deportivo Táchira, Ceará, Goiás, Independiente Petrolero, Corinthians , Flamengo e Juazeirense.

No recorte traçado, foram 27 finalizações, sendo 11 certas, resultando em um aproveitamento em torno de 41% . Neste mesmo período, o jogador balançou as redes seis vezes e distribuiu três assistências.

Após a contusão, o único gol marcado pelo atleta de 27 anos foi na eliminação do Palmeiras para o São Paulo, pela Copa do Brasil. Na ocasião, ele fazia bom jogo, mas desperdiçou uma penalidade máxima no tempo regulamentar e outra na disputa por pênaltis — Veiga havia perdido apenas um com a camisa do Verdão até então.


Passado o episódio diante do rival paulista, ele entrou em campo três vezes: contra Cuiabá, América-MG e Internacional . Nestas partidas, acabou substituído no segundo tempo em todas — aos 17', 10' e 23', respectivamente.

Curiosamente, contra o time de Belho Horizonte e o de Porto Alegre, Gustavo Scarpa e Gabriel Menino, que entraram no lugar do meia nas ocasiões, marcaram os gols que renderam vitórias ao Palmeiras nas partidas em questão.

Surpreende a má fase de Raphael Veiga, mesmo levando em considerando os contextos recentes, pois ele é um jogador que pode entregar mais.

Porém, Abel Ferreira deixou claro que oscilações não são problema, desde que haja 'esforço e trabalho para a equipe'. Como o treinador palmeirense afirmou: 'Jogadores são como as ondas do mar, uma vez estão em cima, outras embaixo. Tem que saber lidar com o momento para dar a volta'.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários