'Novo ciclo' e troca de provocações: o reencontro do Palmeiras de Abel Ferreira com Mano Menezes
Julia Mazarin
'Novo ciclo' e troca de provocações: o reencontro do Palmeiras de Abel Ferreira com Mano Menezes


O duelo entre Palmeiras e Internacional, pelo Brasileirão , marca o reencontro do Verdão com Mano Menezes, além de assentar um novo embate entre o treinador e o português Abel Ferreira após troca de provocações.

GALERIA

> Os jogadores que mais tiveram camisas vendidas na temporada
> Quem foi o craque do 1º turno do Brasileirão? Redação do L! vota

Em maio, em entrevista à Rádio Grenal, o gaúcho de 60 anos foi questionado sobre o comportamento de treinadores na área técnica. Como resposta, deu uma declaração sobre uma possível ‘maior tolerância com profissionais estrangeiros’, como é o caso do comandante do Verdão.

- Quanto ao comportamento, achei que estava meio exagerado. Aí, fiquei olhando o Abel Ferreira, do Palmeiras, e virei um juvenil em termos de reclamação. Mas, como a tolerância é maior com quem vem de fora, a coisa andou mais normalmente - disse Mano.

No dia seguinte, em coletiva após uma vitória do Palmeiras no Brasileirão, Abel Ferreira aproveitou para responder o adversário. Em tom de ironia, o português comparou as idades e disse que tinha muito a aprender.

- Eu não sou experiente na matéria. Tenho 43 anos, ainda sou juvenil. O Mano é sênior, já tem 60 anos, é nível sênior. Eu, com a idade que tenho, sou juvenil. Tenho muito para aprender, crescer e melhorar com o futebol brasileiro. A minha filosofia é ser melhor a cada dia, a cada jogo - desabafou.

TABELA

> Clique e confira a tabela completa e simulador do Brasileirão!

Ironicamente, este será apenas o primeiro confronto entre Mano Menezes e Abel Ferreira. O treinador colorado até poderia ter enfrentado o Verdão no Allianz Parque em 2020, mas, na época no Bahia, foi substituído pelo auxiliar Sidnei Lobo na vitória palmeirense por 3 a 0 por conta de uma suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Já em outra oportunidade, Abel Ferreira cumpria isolamento por conta da Covid-19.

Depois de aproximadamente dois anos e oito meses, o Palmeiras volta a encontrar Mano que, após uma breve passagem pelo clube em 2019, demarcou novos ciclos para a equipe paulista, dentro e fora de campo. A permanência do comandante foi, em partes, decepcionante. Em apenas 20 jogos disputados, foram 11 vitórias, cinco empates e quatro derrotas.

Quando o Verdão optou por desligar o treinador gaúcho, o então presidente Maurício Galiotte iniciou um período de mudanças significativas no Alviverde, incluindo reformulação do elenco.

Em momentos e por motivos diferentes, as saídas dos demais atletas se deram para que a diretoria, agora liderada por Anderson Barros, determinasse uma nova política. Jogadores da base são mais valorizados, ao passo em que contratações são apenas pontuais.

Nomes de peso deram espaço a atletas avaliados com potencial técnico e de mercado futuro, principalmente sul-americanos. Já dentro de campo, o resultado da troca no comando técnico e nos bastidores foi ainda mais expressivo. Em 2020 e 2021, o Verdão viveu um dos capítulos mais vitoriosos de sua história, com resultados estendidos até o início desta temporada.

O Paulistão de 2020, vencido por Vanderlei Luxemburgo, abriu margem para cinco títulos conquistados por Abel Ferreira. Além do bicampeonato da Libertadores (2020-2021), os palmeirenses puderam comemorar uma Copa do Brasil (2020), uma Recopa Sul-Americana (2022) e mais um estadual, também neste ano.

Agora, o ‘o duelo de titãs’ servirá para o Verdão de Abel, quem sabe, ampliar a vantagem na liderança do Brasileiro, ou para o Colorado de Mano diminuir a distância entre os times e caminhar rumo ao título.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários