Intocável com Dorival, Santos eleva aproveitamento do Flamengo a nível de campeão
Lucas Pessôa*
Intocável com Dorival, Santos eleva aproveitamento do Flamengo a nível de campeão


Quando entrar em campo contra o Avaí neste domingo, o Flamengo deve apresentar um sistema defensivo completamente diferente daquele que atuou contra o Juventude, na última quarta-feira . Com exceção de um nome: Santos.

+ Quem chega e quem sai? Confira o vaivém do mercado no Flamengo

Em meio ao rodízio promovido por Dorival Júnior , o goleiro se firmou como "intocável" e os números justificam a decisão: com ele no gol, o aproveitamento rubro-negro na temporada é de 86% . Para se ter noção, os índices dos últimos campeões brasileiros foram de 74% (Atlético-MG, 2021), 62% (Fla, 2020) e 79% (Fla, 2019).

Em contrapartida, sem Santos, o aproveitamento do Flamengo em 2022 despenca para 60%. Confira, no fim da matéria, o comparativo entre ele e os outros três goleiros rubro-negros: Diego Alves, Hugo Souza e Matheus Cunha.

INÍCIO DIFÍCIL E EVOLUÇÃO COM DORIVAL

Apesar do bom momento atual, Santos teve de conviver com duas frustrações logo em sua chegada ao Flamengo, em abril deste ano. A primeira foi o critério usado por Paulo Sousa, que o transformou em uma espécie de goleiro de copas. A segunda - e principal - foi a lesão muscular que o afastou dos gramados por quase dois meses.

+ O plano de Dorival: Flamengo roda elenco e mantém intensidade em maratona de jogos

A titularidade absoluta só veio com a chegada de Dorival Júnior, no último mês. Após escalar Diego Alves nas primeiras partidas no comando do Fla - enquanto Santos ainda se recuperava de lesão na coxa esquerda -, o treinador promoveu a volta do goleiro no duelo contra o América-MG, em 25 de junho.

Flamengo x América-MG - Santos

Santos em ação pelo Flamengo (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

Desde então, Dorival estabeleceu Santos como titular e viu o time dar uma guinada na temporada. Com o goleiro debaixo das traves, o clube avançou de fase na Copa do Brasil e na Libertadores, além de melhorar de desempenho no Brasileirão. Com sete vitórias e uma derrota nesta sequência, o Fla teve um aproveitamento de 87,5%.

Os números individuais de Santos também se tornaram ainda melhores sob o comando de Dorival. Nas últimas oito partidas, ele sofreu apenas três gols - uma média inferior a 0,4 por jogo. Em comparação, nos quatro jogos com Paulo Sousa, foram seis gols - uma média de 1,5 por jogo.

+ Confira a tabela do Brasileirão e simule os resultados

Depois de períodos turbulentos com Diego Alves e Hugo Souza, o Flamengo encontrou em Santos um goleiro calmo, discreto e seguro. Debaixo da baliza, ele solucionou o problema da posição e, agora, tem uma missão pela frente: corresponder à confiança depositada pela torcida rubro-negra e por Dorival Júnior.

Veja a comparação entre os goleiros do Flamengo:

SANTOS
- Jogos: 12
- Retrospecto: 10V/1E/1D
- Aproveitamento: 86%
- Gols sofridos: 9
- Média de gol sofrido por jogo: 0,75

HUGO SOUZA
- Jogos: 26
- Retrospecto: 15V/5E/6D
- Aproveitamento: 64%
- Gols sofridos: 20
- Média de gol sofrido por jogo: 0,77

DIEGO ALVES
- Jogos: 6
- Retrospecto: 2V/1E/3D
- Aproveitamento: 39%
- Gols sofridos: 10
- Média de gol sofrido por jogo: 1,66

MATHEUS CUNHA
- Jogos: 2
- Retrospecto: 1V/1E
- Aproveitamento: 66%
- Gols sofridos: 1
- Média de gol sofrido por jogo: 0,5

* Em colaboração para o LANCE!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários