Júnior Maestro revela conselho de diretor em início na Globo: 'Guardo até hoje'
Lance!
Júnior Maestro revela conselho de diretor em início na Globo: 'Guardo até hoje'


Ídolo do Flamengo e destaque da Seleção Brasileira de 1982, Júnior Maestro participou do podcast 'WiB&Cast' e lembrou do conselho que recebeu de Armando Nogueira , diretor da Globo em 1998, que o recepcionou no momento de transição da vida de boleiro para comentarista.

- Meu primeiro diretor, o jornalista Armando Nogueira, me disse uma coisa que guardo até hoje: "Critique sem ofender e elogie sem bajular". Minha faculdade de Comunicação foi com os profissionais com quem trabalhei na TV. Sempre procurei ouvir as pessoas com experiência no meio. Fui jogador, e as críticas sempre existiram. Quando se está em campo, você sabe que isso faz parte da sua vida. Tem a crítica construtiva, mas também tem a pejorativa, que pra mim não cabe. Falar "Hoje fulano não foi bem é diferente do hoje ele foi mal". Tem que haver equilíbrio e respeito - destaca Júnior.

No bate-papo, chegou-se aos 40 anos do memorável Brasil x Itália da Copa de 1982, completados recentemente, no dia 4 de julho. Maestro falou sobre a música "Voa, Canarinho", que embalou a Seleção Brasileira e foi cantada e gravada por ele.

- A música não era minha, só fui o intérprete, muito a contragosto, para dizer a verdade. Estava concentrado com a seleção na Toca da Raposa quando meu amigo Alceu Maia, o Alceu do cavaquinho, me ligou dizendo que estava com uma música que era a minha cara. Disse a ele: "Como assim?! Estou com a cabeça na Espanha, na Copa do Mundo, e eu lá quero saber de música a uma semana do Mundial!". Mas ele insistiu e mandou uma fita cassete pelo Correio. Coloquei pra tocar e chamei o Edvaldo, que era meu companheiro de quarto. Ele ouviu e comentou: "Essa música é a sua cara mesmo" - iniciou.

- Isso era uma segunda-feira e voltávamos para o Rio naquela semana, para embarcarmos para a Espanha no domingo. E olha como as coisas se encaixaram: fui a um pagode na sexta, onde acabei conhecendo minha mulher. Cheguei em casa de madrugada e, às 9h de sábado, estava no estúdio para gravar a música. Alceu perguntou se eu tinha descansado, falei que sim, apenas cinco horas, mas que a voz ainda estava quente por conta do pagode. E foi uma primeira experiência de gravação que eu tive na vida e deu tudo certo. Saí de lá como se eu tivesse feito um gol - concluiu.

Sobre o podcast 'WiB&Cast'
Após rodarem por países da Europa, Denise Liporaci, Hellen Telles e Renata Aron, idealizadoras do WIB (Women in Black, Mulheres de Preto), trouxeram o estúdio itinerante na bagagem para fazer o que intitularam de Temporada Brasil, no mês passado. Por aqui, o que não faltaram foram nomes de peso do futebol, de várias gerações e setores.

- Pelo Rio de Janeiro, gravamos resenhas incríveis, com feras consagradas como Junior, Roger Flores, Zinho, Bebeto, Petkovic, Felipe Melo, Mylena Ciribelli, Matheus França, Cleber Xavier e Zico. Só bate-papo de alto nível, muito enriquecedor. Um material feito com muito carinho, com belas histórias da bola de quem conhece do assunto - disse Denise Liporaci.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários