Palmeiras começa a sentir efeitos do calendário em fase decisiva da temporada
Julia Mazarin
Palmeiras começa a sentir efeitos do calendário em fase decisiva da temporada


O Palmeiras precisa lidar com uma sequência intensa de jogos e desgastes de jogadores em um dos momentos mais decisivos da temporada. Em comparação com outros momentos ao longo das atuais edições das competições que o time disputa, esse é o que mais gera reclamações da comissão técnica.

GALERIA

> ATUAÇÕES: “Online”, Veron marca e mantém Palmeiras na liderança
> Veja como podem ficar os times do Brasil com os novos reforços

No começo da temporada, em fevereiro de 2022, Abel Ferreira não podia contar com três jogadores: Luan, que havia machucado o músculo reto-femoral em um treinamento, Zé Rafael, que sofreu um edema na coxa esquerda, e Scarpa, que precisou lidar com um estiramento no joelho esquerdo.

Os meias, contudo, se recuperaram rapidamente e voltaram a compor o elenco palmeirense, enquanto o zagueiro permaneceu no departamento médico por aproximadamente três meses.

Depois, foi a vez de Danilo ser desfalque da equipe. O volante sofreu um trauma na coxa esquerda que o tirou das partidas válidas pela semi e ida da final do Paulistão, em março. Assim como os companheiros de meio-campo, também não precisou de um longo tempo de recuperação, deixando o Núcleo de Saúde e Performance cada vez mais vazio.

Apesar de alguns problemas pontuais devido à lesões, o Verdão sofreu mais com ausências por conta de compromissos de seus atletas com suas respectivas seleções. Com cinco jogadores convocados para amistosos e Eliminatórias da Copa do Mundo, o Palmeiras continuou indo ‘na contramão’ de rivais e mantendo menos de três jogadores no departamento médico.

TABELA

> Clique e confira a tabela completa e simulador do Brasileirão-22!

Em razão de uma cirurgia necessária após um rompimento do ligamento cruzado do joelho direito, Jailson é um dos casos mais graves da temporada do Verdão – e talvez o único. O meia só deve voltar a atuar em 2023.

Ao longo dos meses, Piquerez, Raphael Veiga e Zé Rafael também tiveram problemas musculares. O camisa 23, contudo, precisou de mais tempo para se recuperar pois, além disso, foi infectado pela Covid-19 e esteve afastado dos gramados durante duas semanas.

Entre junho e julho, três jogadores do Verdão precisaram de tratamento. Trata-se de Rony, com uma lesão na coxa esquerda, Rafael Navarro, na coxa direita, e Jorge, com um trauma no joelho direito. Ainda não se sabe a gravidade de todas essas lesões, mas a vida do Verdão está mais complicada do que nos últimos meses.

Classificado para as quartas de final da Copa Libertadores e detentor da liderança do Brasileirão, o desgaste será ainda maior e as decisões em jogos importantes acontecerão com mais frequência, exigindo ainda mais de um elenco teoricamente curto. Vale lembrar que os centroavantes Miguel Merentiel e Flaco López poderão compor a equipe a partir da próxima partida do clube, na quinta-feira.

Na vitória da equipe sobre o Cuiabá, o técnico Abel Ferreira optou por preservar Marcos Rocha e Zé Rafael, assim como faz com outros jogadores, e viu o lateral Piquerez pedir substituição após sentir um desconforto muscular.

- Se há alturas em que dou minha opinião de coisas que devem mudar, e estão escritas no livro, até sobre arbitragem e sua profissionalização. É que há uma coisa boa aqui, de que pode contratar os jogadores e eles vêm mais cedo. Na Europa não existe isso. Gosto muito de buscar os jogadores, eles já estão há quase um mês treinando, o que ajuda na adaptação a São Paulo, ao CT, aos colegas, à intensidade de treino, às ideias de jogo e é muito bom. E o fato de numa altura em que as lesões são muitas e as pessoas falam que o elenco é curto. Não posso contratar 30 medalhões, porque se não houver lesões, tenho 20 chateados porque não jogam. Vem numa altura boa, estamos na frente sem o Rony, lesionado pelo número de jogos, não há milagres. O Piquerez hoje acho que também teve uma lesão muscular. Mas temos mais dois jogadores, sobretudo para uma posição que temos de ter outras soluções e vão nos ajudar seguramente - disse o comandante palmeirense, que completou:

- Vocês acham igual uma equipe com três dias de recuperação e outra só com dois? Acham mesmo que é igual? Vocês acham que isto é normal? Há 30 anos isto é normal? É só a minha opinião, só me pagaram para vir ao Brasil para deixar meu conhecimento dentro do Palmeiras, bom ou mau. Tudo está lá. E eu aqui só dou opiniões. Não estou dizendo para fazer algo, é minha opinião e experiência só. Não quero que mudem por minha culpa. Não é uma verdade absoluta. Quero que todo mundo seja feliz, só isso que eu quero. Se todo mundo for feliz, vou ser feliz, também. Me pagam para ser treinador do Palmeiras e dar o melhor de mim. Sou obrigado a vir aqui, senão não vinha.

Com a eliminação nas oitavas da Copa do Brasil diante do rival São Paulo, o Palmeiras pode ter mais tempo para treinar e, obviamente, descansar para seguir no topo da história do futebol brasileiro, sem mais nenhuma perda significativa em termos de equipe.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários