Juíza condena Imperial por 'colaborar indiretamente' com a morte de Matheus 'brutt'
Lance!
Juíza condena Imperial por 'colaborar indiretamente' com a morte de Matheus 'brutt'


A juíza Patricia Almeida Ramos decidiu condenar a Imperial pela morte de Matheus "brutt". A Justiça determinou, em primeira instância, que a organização deverá pagar uma indenização por danos morais de R$400 mil para a família do falecido jogador de CS:GO. A informação foi divulgada pelo "ge", e confirmada pelo LANCE! .

+ Pesquisa aponta as 26 maiores torcidas do Brasil; confira o ranking

Na sentença publicada nesta segunda-feira, a juíza concluiu que a Imperial "colaborou indiretamente" para a morte do atleta. De acordo com a Justiça, a organização esportiva não cumpriu com as obrigações legais e contratuais de saúde, o que acabou corroborando na piora do estado de "brutt". O valor da indenização ainda terá juros e correção monetária.

O advogado da Imperial, José Augusto Rodrigues Jr, alegou que a empresa cumpriu com as obrigações e prestou suporte ao atleta. A defesa ainda afirmou que não seria "razoável" relacionar a Imperial com a morte do jovem.

+ Ex-jogador do Corinthians ganha emprego em fábrica após luta contra dependência química

Matheus "brutt" faleceu no dia 15 de dezembro de 2019, aos 19 anos, por conta de uma infecção no sistema nervoso central. O jovem estava em ascensão na carreira e disputava o Campeonato Brasileiro de Counter-Strike. Os parentes de "brutt" acreditam que se houvesse um suporte maior das equipes Team Reapers e Imperial, o final poderia ter sido diferente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários