Abel Ferreira reclama de declarações distorcidas sobre atleta do Palmeiras: 'Existem limites'
Lance!
Abel Ferreira reclama de declarações distorcidas sobre atleta do Palmeiras: 'Existem limites'


Nas últimas semanas, Abel Ferreira deu uma declaração sobre Gabriel Veron e a responsabilidade das equipes com jovens atletas brasileiros, na intenção de procurar educá-los de uma melhor maneira em suas respectivas carreiras . Com as falas retiradas de contexto por alguns jornalistas, o técnico do Palmeiras fez questão de desabafar sobre o ocorrido.

GALERIA

> ATUAÇÕES: “Online”, Veron marca e mantém Palmeiras na liderança

TABELA

> Confira a tabela completa e simulador do Brasileirão-2022!

- Tenho que ter cuidado ao falar do Gabriel Veron porque, da última vez que falei dele, dois ou três jornalistas mal intencionados levaram isso para outro lado. Quando falo, falo de futebol. Acho que a liberdade de imprensa é fundamental para a democracia, mas existem limites. A ofensa faz parte desses limites. Falei do Veron e dos jogadores brasileiros, não generalizei. Não me metam em jogos políticos ou problemas de sociedade. Vim para o Brasil ser treinador dentro das minhas qualidades e capacidades. Se quiserem me criticar, que façam isso como treinador. “É fraco, a equipe não compete, o time não sabe bater pênaltis”. Até para ofensas existem regras, aí terão que responder nos devidos lugares - disse o treinador.

Após se envolver em uma polêmica por ter sido flagrado em uma balada enquanto se recuperava de um corte no pé direito, o jovem atleta do Verdão foi o autor do gol da vitória do time sobre o Cuiabá no Brasileirão.

O comandante palmeirense, portanto, aproveitou para reforçar que as devidas punições foram aplicadas no âmbito esportivo, sem que o jogador precisasse ser ‘crucificado’. Abel ainda completou dizendo que a imprensa que faz um trabalho honesto deve ser valorizada.

- As pessoas precisam entender que há limites. Ninguém está aqui para calar a imprensa, mas fico muito triste por quem não entende regras. Tenho pena das pessoas que estudaram, tiveram oportunidades que muitos não têm, e ainda assim são tão mal intencionadas… Se eu tivesse crucificado o Veron, hoje não teríamos vencido. Essa é a minha opinião e minha forma de lidar. Foi a educação dos meus pais que me permitiu ser assim e não digo que estou certo. Existem pessoas que não conseguem te manipular ou influenciar, por isso vão ao seu redor para falarem mal de ti e convencerem outras pessoas de que você é mal. Isso é muito feio e muito triste. É vergonhoso. Fico triste com quem não quer aprender a ser melhor. E eu preciso de todos os jornalistas, pois são fundamentais. Prefiro valorizar quem valoriza o futebol e dar credibilidade ao que dizem. Se o Brasil é o país do futebol, vamos fazer com que isso seja verdade - desabafou o português.

Ainda em coletiva, Abel Ferreira falou que alguns jornalistas precisam retirar os “óculos de Penafiel”. O ditado popular de sua própria terra consiste em palas que os burros usam nos olhos de modo a que concentrem a atenção no caminho. Ou seja, a expressão significa ignorar algo que não está de acordo com os seus interesses.

Por fim, o português agradeceu o apoio dos torcedores do Palmeiras, mesmo com uma eliminação precoce na Copa do Brasil. Segundo ele, a decisão de seguir treinando o clube segue sendo a correta.
- Cada vez mais e a cada dia que passa tenho mais convicção na decisão que tomei de continuar treinando esse clube. Eu tenho grande gratidão ao que nossos torcedores estão fazendo. Com calma, com paciência, apoiando a equipe, porque nossos jogadores estão merecendo. Eles sentem isso porque não é muito normal, não está muito na cultura esportiva. Nossos torcedores abraçaram a ideia dessa equipe e gostam daquilo que estamos fazendo. É para isso e por eles que nós trabalhamos. Todo o nosso esforço é para os nossos torcedores, que representam a família Palmeiras. Nada e nem ninguém vai nos tirar a paixão de competir e a vontade de ganhar - concluiu.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários