Zada explica transformação positiva do Volta Redonda na temporada
Lance!
Zada explica transformação positiva do Volta Redonda na temporada


A goleada por 7 a 0 sobre o Angra dos Reis, no meio de semana, no Carioca da serie A2, somada a vitória por 2 a 1 sobre o Mirassol, em casa, líder da série C do Brasileiro, no fim de semana, refletem o momento de subida do Volta Redonda, do gerente geral de futebol Zada na temporada. Mas se engana quem acha que tudo sempre foi essa maravilha no Tricolor de Aço.

- Foram quase dois anos longe do clube (trabalhando em Portugal no período mais crítico da pandemia) e, quando voltei, pude constatar o quanto a pandemia também foi prejudicial para o Volta Redonda, com consequências sérias e negativas. Porém, isso fez com que todos do clube enxergassem a necessidade de se empenhar mais. Hoje conseguimos resgatar o ritmo que havia se perdido, a unidade de pensamento, sintonizamos as decisões e a comunicação entre os departamentos está mais adequada - explicou Zada.

Zada tem formação de gestão na CBF Academy. Antes de sair para um novo desafio na Europa em 2020 aceitou o convite para ser o gerente geral do Valadares de Gaia FC, um time da terceira divisão de Portugal. O Volta Redonda brigava na ponta da tabela na série C do Brasileiro e quase sempre estava entre os grandes do Campeonato Carioca. A experiência europeia, em outra cultura, levou Zada e enxergar o futebol com outros olhos, principalmente o Brasileiro, onde ele classificou o nível técnico como o mais disputado e equilibrado do mundo.

- Na minha visão, o futebol brasileiro está muito nivelado. Ao observar a tabela de classificação da série C do Brasileiro,, estamos entre os primeiros colocados dentro da zona de classificação com seis pontos apenas do líder. Em relação à A2, estamos encarando com todo respeito, pois é uma competição muito qualificada mesmo vitoriosos no primeiro turno, ainda disputaremos seriamente para atingir o objetivo final. Dedicação integral às competições Obrigação de sermos bem sucedidos em ambas - afirmou.

O Volta Redonda encarou um rebaixamento inesperado nesta temporada no Cariocão. Não conseguiu sair da espiral negativa após o início ruim na competição. Zada teve que reajustar a rota desse "acidente" ocorrido no início do ano e explicou como encara as duas competições simultâneas desse ano:

- Se deve encarar a A2 com a mesma mentalidade e importância da série C, independente das diferenças entre as competições. A dedicação é a mesma. Formamos uma equipe competitiva para a disputa da série C/ A2 e o resultado está sendo evidente na A2 porque os atletas estão encarando com a mesma seriedade as duas competições - comentou.

Outro fator importante levantado por Zada na campanha deste ano, foi as viagens e logísticas da campanha na Série C do Brasileiro. O desgaste, o mental, o calendário. Tudo isso foi estudado com exaustão. O Gerente Geral de Futebol do Voltaço garante que apesar de todo desgaste, o time está pronto para superar as barreiras de distâncias pelo Brasil:

- Está sendo um desafio enorme. Logísticas de viagens, treinos, escolha de hotéis, alimentação adequada, evitar o desgaste dos atletas e comissão técnica , trabalhar de domingo a domingo entre outros detalhes da rotina do clube. Estamos muito atentos porque esse ano, é sem dúvida, o ano de maior número de partidas do clube nos últimos tempos e precisamos nos manter fortes. Vale ressaltar que o grupo de profissionais na comissão técnica, fisiologia, nutricionista, staff e diretoria são antenados e sintonizados com tudo com tudo que envolve o trabalho. Assim, achamos nossa maneira de caminhar juntos para o objetivo - resumiu.

Com todas as dificuldades do time profissional, Zada não deixou de olhar com atenção as divisões de Base do clube. O Voltaço tem realizado campanhas de destaque nas categorias de Base e revelados jogadores:

- O sub-20 chegou à final da Taça Rio após ter ficado em 3º na classificação geral (a frente de dois clubes com maior investimento). Este fato comprova a seriedade do trabalho mesmo com todas as dificuldades de um clube do interior. Vale dizer também que, ao longo dos anos, sempre demos muita atenção às categorias de base, inclusive já tivemos treinador do time profissional proveniente do sub-20 (Neto Colucci) . Portanto, o Voltaço é um clube formador por natureza de atletas e de excelentes profissionais para o mercado. O trabalho do sub-20 ratifica isso , conseguindo pela 6a vez seguida participar da maior competição da categoria que é a Taça SP. Hoje temos mais de 200 atletas nas categorias de base do clube, muitos atletas promissores e com perfil para dar retorno e alegrias para o clube num futuro próximo - finalizou.

Na zona de classificação com 20 pontos (8⁰ lugar), o Volta Redonda de Zada, retornará aos campos, na próxima segunda-feira (18), às 20h, para enfrentar o 7⁰ colocado Manaus (21 pontos), fora de casa, em partida válida pela 15a rodada da série C do Brasileiro. Será mais uma "decisão" para o time da Cidade Aço, que tem como objetivo, subir nas duas frentes que disputa este ano.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários