Rogério Ceni, a pedra no sapato de Abel Ferreira: um dos poucos a vencer o rival em confrontos diretos
Izabella Giannola
Rogério Ceni, a pedra no sapato de Abel Ferreira: um dos poucos a vencer o rival em confrontos diretos


Nesta quinta-feira (14), Abel Ferreira terá que lidar com um técnico que se tornou uma pedra em seu sapato desde quando assumiu o comando no São Paulo : Rogério Ceni . O duelo será decisivo pela classificação para a próxima etapa da Copa do Brasil .

Galeria
> ATUAÇÕES: Defesa do São Paulo se destaca, mas ataque não corresponde e quase não assusta

Tabela
> Veja tabela da Copa do Brasil e simule os próximos jogos

Nesta temporada, de todos os clássicos que a equipe alviverde enfrentou, o único que foi derrotado foi justamente contra o São Paulo.

Desde quando Rogério Ceni assumiu o controle do Tricolor nesta segunda passagem, os times se encontraram em um Choque-Rei seis vezes. Em metade, o triunfo foi do São Paulo. O mais recente foi justamente no jogo de ida válido pelas oitavas da Copa do Brasil, onde venceu por 1 a 0.

O azar do Palmeiras, como dito antes, aparentemente é diante somente ao clube do Morumbi. Em disputas contra o Santos e o Corinthians neste ano, saiu vitorioso em todas - e com um bom saldo de gols.

A grande dificuldade de Abel Ferreira quando se trata do São Paulo de Rogério Ceni surge devido a alguns pontos característicos do treinador e ex-goleiro.

No jogo de ida pela competição, lá no Morumbi, o Palmeiras sentiu uma grande dificuldade em lidar com a forte marcação do Tricolor.

A equipe mandante dominou grande parte do primeiro tempo, onde conseguiu marcar o gol da vitória - e de quebra, romper a invencibilidade de 19 jogos que a equipe alviverde mantinha. Assim, Ceni passou a atormentar os pesadelos do treinador português.

O São Paulo também tem um outro ponto de destaque, mas que já foi driblado pelo adversário, como visto no Campeonato Paulista. O Tricolor, em jogos decisivos, mostra uma forte intensidade.

No estadual, em casa, a equipe de Ceni chegou com uma vantagem de três gols. Porém, não conseguiu segurar o mental e deu algumas brechas para o rival, que reverteu o placar e ergueu a taça. Desta vez, a vantagem é menor, mas com certeza o trauma ficou de lição para o treinador.

Porém, mesmo com a goleada do Palmeiras na final do Paulista deste ano, ainda sim, há todo um histórico - que foi demonstrado na última vez que as equipes se enfrentaram.

Com os dois últimos jogos em uma mesma semana, sendo um pelo Campeonato Brasileiro e outro pela Copa do Brasil, Ceni mostrou rapidamente sua reação em cima do Palmeiras.

Se no primeiro jogo, que aconteceu em uma segunda-feira, a equipe do Allianz Parque se deu melhor, três dias depois teve suas ações ofensivas todas travadas pelo Tricolor paulista, que assumiu uma postura diferente após a derrota recente.

Uma das dificuldades do Palmeiras de Abel, além de lidar com a forte marcação e a intensidade adversária, é administrar com a forma que o setor ofensivo do Tricolor trabalha. A presença de Calleri se torna um perigo eminente.

Além das características do atacante e sua artilharia, o Palmeiras talvez não poderá contar com Rony, um dos principais nomes do elenco atual. O São Paulo costuma agir sempre com foco no camisa 9 da equipe, sempre procurando cruzamentos que façam a bola chegar nele. E assim, sem dificuldade ele coloca para dentro.

O encontro das duas equipes acontecerá nesta quinta-feira (14), às 20h, no Allianz Parque. O time que sair com maior saldo de gols se classifica para as quartas de final do campeonato.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários