Com dificuldades ofensivas, Botafogo precisará superar 'retranca' do América-MG e histórico recente
Lance!
Com dificuldades ofensivas, Botafogo precisará superar 'retranca' do América-MG e histórico recente


Após a 'pesada' derrota no jogo de ida, o Botafogo terá pela frente uma árdua tarefa. A equipe precisa reverter uma desvantagem de três gols de diferença contra o América-MG, no Nilton Santos, na próxima quinta-feira, às 21h. Na temporada, o time conseguiu esse placar em apenas três oportunidades, porém contra adversários de outras divisões.

+ Novo reforço do Botafogo, Eduardo explica mudança no nome e elogia projeto: 'Não pensei duas vezes'

Na disputa do Carioca, o Alvinegro ainda era comandado pelo ex-jogador Lúcio Flávio. No placar mais dilatado da campanha, o time goleou o Volta Redonda por 5 a 0, em março. Erison (2), Rikelmi, Mezenga e Joel Carli estufaram as redes. No fim da competição, o Voltaço não resistiu à uma pífia campanha e foi rebaixado.

+ Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro

Na fase anterior da Copa do Brasil, o Botafogo vivia outro momento, com o início do trabalho de Luís Castro. O adversário era o Ceilândia, que hoje disputa a Série D do Brasileirão. Dentro e fora de casa, os cariocas venceram por 3 a 0, justamente a diferença de gols que precisa nesta quinta.

O time, no entanto, não conseguiu evoluir e nas últimas dez partidas perdeu em sete oportunidades. Os questionamentos acerca do trabalho de Luís Castro começaram, mas o português tem o respaldo de John Textor. O norte-americano pretende reforçar a equipe a partir da próxima janela e dar condições ao trabalho do português.

Em compensação, os reforços só poderão estar em campo a partir do dia 18. Até o momento, Fernando Marçal e Carlos Eduardo foram anunciados oficialmente. Luís Henrique está bem encaminhado e deve ser o próximo, enquanto outros nomes estão em pauta como Martín Ojeda e Matheus Pereira.

+ Botafogo anuncia Pedro Moreira como novo Gerente de Futebol


A tendência é que o Coelho "feche a casa" e jogue com a vantagem embaixo do braço. Sem precisar se expor, os mineiros atuarão nos contra-ataques e tentarão segurar o Botafogo para gerar impaciência da torcida.

Com essa configuração, o Alvinegro precisará ter poderio ofensivo para incomodar o adversário desde o início. Algo que tem faltado nas últimas atuações sob a batuta de Luis Castro. O meio de campo do Glorioso tem sido um deserto de ideias, sem articulação e jogadas coletivas.

A lentidão na saída de bola e nas transições ofensivas são pontos que precisam ser superados neste duelo. Para furar o bloqueio mineiro, as linhas precisam estar equilibradas para pressionar com jogadas verticais e não dar espaço aos contragolpes. Mesmo com desfalques, será um bom momento para Luís Castro mostrar que o time tem variação tática e mais de um estilo de jogo.

+ Sem variação tática, desfalques e mais: o que pode explicar a sequência negativa do Botafogo

Para conseguir um placar dilatado, o Botafogo vai precisar repetir o feito que teve na goleada por 4 a 0 sobre o Vasco na Série B, em São Januário. Foi neste emblemático confronto, que o time da estrela solitária venceu um clube grande por uma diferença maior que três gols.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários