Mudanças no sistema ajudam a entender queda de rendimento de Renato Augusto no Corinthians
Rafael Marson
Mudanças no sistema ajudam a entender queda de rendimento de Renato Augusto no Corinthians


Após o empate por 1 a 1 com o América-MG, pela oitava rodada do Brasileirão, o Corinthians chegou ao seu quinto empate consecutivo. O clube perdeu o 1º lugar no Campeonato Brasileiro e fracassou na tentativa de ir às oitavas de final da Libertadores como líder do grupo. Um dos reflexos do mau momento do time é Renato Augusto, que está em baixa neste primeiro semestre de temporada.

GALERIA - Veja os garotos da base que tiveram chances com VP

O camisa 8 está há cinco jogos sem contribuir com um gol ou assistência. Sua última participação direta em gol foi na 5ª rodada do Brasileirão, no dia 8 de maio, onde fez o gol da vitória corintiana contra o Red Bull Bragantino, fora de casa.

Na temporada passada, Renato foi fundamental para o clube alvinegro garantir vaga direta à fase de grupos da Libertadores, marcando gols cruciais contra Cuiabá e Grêmio no Brasileirão.

Não obstante, o meia em muitas ocasiões era o único ponto positivo na criação do time treinado por Sylvinho, e suas atuações fizeram ele entrar no radar de Tite para receber nova chance na Seleção Brasileira.

No atual momento da temporada, o camisa 8 dá indícios de falta de confiança, arriscando cada vez menos o seu característico chute de longa distância. Um dos motivos que ajudam a entender o momento de Renato Augusto são as mudanças táticas impostas por Vítor Pereira nos últimos jogos.

Para fortalecer o esquema defensivo, o treinador passou a montar a equipe em uma linha com cinco defensores. A alteração prejudicou o desempenho coletivo do grupo e gerou queda de rendimento técnico de alguns atletas.

Renato Augusto, que vinha atuando pelo lado esquerdo, foi deslocado para o lado direito do meio-campo, com maiores tarefas defensivas. O próprio treinador, em entrevista coletiva concedida antes do duelo contra o América-MG, admitiu que a mudança não apenas prejudicou o jogo do camisa 8, como também tirou a confiança do atleta.

– Para chegar a essa conclusão, o Renato jogava do lado esquerdo, com uma dinâmica com o lateral e o ponta-esquerda e essa ligação entre eles tornava o Renato mais influente da esquerda para dentro. Como queríamos dar respostas defensivas, deslocamos o Renato para direita, para quando defendíamos ele não fosse o jogador que ficasse ao lado do volante e ficasse mais alto para não defender atrás, mas essa alteração de função prejudicou, tirou confiança. Em busca de soluções encontramos um problema novo. E é treino, vamos buscar soluções – afirmou o técnico lusitano.

+ TABELA - Confira e simule os jogos do Campeonato Brasileiro

Outro aspecto que vem limitando tecnicamente Renato Augusto são as marcações individuais impostas pelos rivais. América-MG, São Paulo e Internacional, últimos adversários do Timão no Brasileirão, são algumas das equipes do futebol brasileiro que optam por marcar individualmente os jogadores adversários.

Vítor Pereira, na coletiva após o empate com a equipe mineira, comentou sobre a marcação individual do América-MG, e disse que essa abordagem não é comum no futebol português.

- Temos dificuldades para dar resposta contra equipes que jogam assim. Temos que nos preparar porque há muitas equipes no Brasil com essa dinâmica defensiva. Nós defendemos mais por zona, não tão individual, mas terei que recriar. Em Portugal isso não existe, não lembro de uma que marque individualmente. É um desafio a mais deste campeonato - comentou Vítor.

Além dos aspectos táticos e técnicos, Renato é um dos atletas mais "geridos" no rodízio imposto por Vítor Pereira. De olho na minutagem de seus atletas, o treinador português vem trabalhando com a sua comissão técnica para extrair o máximo possível dos jogadores mais experientes.

Das últimas 14 partidas disputadas pelo meia, em apenas duas ocasiões, nos empates contra São Paulo e Deportivo Cali, ele atuou os 90 minutos. Nesse período, Renato Augusto foi titular em oito jogos, saiu do banco de reservas em quatro, e só não atuou nas partidas contra a Portuguesa-RJ, pela terceira fase da Copa do Brasil.

Segundo o Footstats, o camisa 8 é o quinto jogador do elenco do Corinthians em passes completados no Brasileirão (228) e o segundo em finalizações (7), empatado com Willian e Mantuan.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários