Presidente do São Paulo fala sobre Marquinhos e venda de jogadores: 'Ele não queria ficar'
Lance!
Presidente do São Paulo fala sobre Marquinhos e venda de jogadores: 'Ele não queria ficar'


O presidente do São Paulo , Julio Casares, afirmou em entrevista ao "Grande Círculo", do SporTv, que o Tricolor irá vender jogadores em julho deste ano e destacou que Rogério Ceni está ciente.

GALERIA
> São Paulo vai contratar goleiro? Veja 10 “nomes escondidos” que poderiam ser tentados

TABELA
> Veja tabela da Copa Sul-Americana

Casares disse que será necessário realizar a venda de alguns nomes caso receba propostas no meio do ano. De acordo com o presidente, Ceni também tem conhecimento de tal fato.

– Ainda dependemos da venda de atletas. E não tenho dúvida que, no meio do ano, havendo uma proposta, o São Paulo vai ter que vender. Isso está claro, e o Rogério (Ceni) sabe disso – disse.

Julio Casares também comentou sobre a recuperação do mercado após a pandemia e o impacto do conflito entre Rússia e Ucrânia. Antes da guerra, o Tricolor paulista havia recebido uma proposta do Dínamo Kiev por Rodrigo Nestor, e também, uma sondagem por Igor Gomes.

- Viemos de uma pandemia, onde a janela (janeiro) foi muito conservadora. O mercado sentiu. Então, parece que agora está se recuperando. O mercado russo, que era um bom mercado, Ucrânia, etc, não existem mais. A China também não existe mais. Aí começa a reduzir – ressaltou.

Na previsão orçamentária de 2022, o São Paulo prevê R$ 142 milhões em negociações de jogadores. Até o momento, dois meses antes da janela abrir, o Tricolor já somou R$ 25 milhões em vendas com a ida de Tiago Volpi para o Toluca e de Marquinhos para o Arsenal.

Sobre a cria de Cotia, o clube precisou acelerar as movimentações devido a um problema contratual do jovem atleta. Seu contrato era previsto para cinco temporadas na equipe, mas a Fifa prevê que, por conta da sua idade, só eram permitidas três. Assim, o São Paulo podia não receber nada pelo jogador.

Durante a entrevista, Casares alegou que Marquinhos havia decidido deixar o São Paulo antes de fazer parte do elenco profissional, em julho de 2021.

– A questão do Marquinhos é uma questão conhecida, que ele não conseguia mais, ele não queria ficar, foi tentado de tudo. Até antes do jogo contra o Racing, que ele arrebentou, ele não já queria ficar. Era uma questão contratual, que ele tinha essa condição – disse.

Marquinhos foi responsável por garantir a classificação da equipe contra o Racing na Libertadores do último ano.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários