Vasco mostra evolução na defesa, que alimenta a esperança de acesso do time. Há problemas para quinta-feira
Felippe Rocha
Vasco mostra evolução na defesa, que alimenta a esperança de acesso do time. Há problemas para quinta-feira


Um time que faz poucos gols, para estar invicto e ter se posicionado na parte de cima da tabela precisa ter méritos. E no caso do Vasco , um destes méritos é, inegavelmente, a defesa: com três gols sofridos nos sete jogos até aqui, a retaguarda do Cruz-Maltino comanda a campanha do time da Série B do Campeonato Brasileiro.

São três gols sofridos, mas são dois jogos sem ser vazada. A fortaleza que vem sendo construída se manteve imbatível nos últimos três jogos em casa. Não por coincidência, três vitórias vascaínas.

Também não é coincidência que os times de melhor desempenho defensivo na competição estejam na parte de cima da tabela. O melhor retrospecto é do Sport, que foi vazado somente duas vezes. O líder Cruzeiro e até o Bahia, último adversário do Vasco, levaram três gols até aqui, tal qual o Cruz-Maltino.

A competição ainda está no início, mas a tabela já ilustra o que costumeiramente ocorre em torneios por pontos corridos: para se consolidar no alto é preciso ter defesa forte. E no caso do time de São Januário, ajustes foram sendo feitos até a escalação que parece a ideal.

-> Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

Já na segunda rodada Gabriel Dias tomou a titularidade de Weverton. Na quarta, Thiago Rodrigues foi desfalque, mas logo voltou. Na mesma partida, Riquelme teve chance, mas não seguiu no time inicial. E a outra mudança do sistema defensivo vascaíno daquele jogo, e que se mantém, foi a entrada de Andrey. O antigo companheiro de posição de Yuri Lara era Zé Gabriel.

Há um desafio, porém, pensando jogo contra o Guarani. Possivelmente até dois. Yuri está suspenso e Gabriel Dias é dúvida.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários